Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 28.mai.2017, Amós 2

Assim diz o SENHOR: Por três transgressões de Judá e por quatro, não retirarei o castigo, porque rejeitaram a lei do SENHOR e não guardaram os seus estatutos; antes, se deixaram enganar por suas próprias mentiras, após as quais andaram seus pais.
[Ezequiel 20.24,13,16; 2Reis 17.19; Isaías 28.15]
Por isso, porei fogo a Judá, e ele consumirá os palácios de Jerusalém.
[Jeremias 17.27; Oseias 8.14]
Assim diz o SENHOR: Por três transgressões de Israel e por quatro, não retirarei o castigo, porque vendem o justo por dinheiro e o necessitado por um par de sapatos.
[Joel 3.3; 2Reis 18.12; Amós 5.11-12]
Suspirando pelo pó da terra sobre a cabeça dos pobres, eles pervertem o caminho dos mansos; e um homem e seu pai entram à mesma moça, para profanarem o meu santo nome.
[Amós 5.12; Isaías 10.2; Ezequiel 22.11; Miqueias 2.2]

[655,000]

dezembro 27, 2008

E as nossas aflições?


...


"E chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me. Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma?" (Marcos 8.34,36)

O Evangelho pregado por Jesus Cristo sempre foi, e será, aquele que nos leva a renúncia ao que dantes praticávamos, portanto, nos leva ao arrependimento (Mateus 3.8) das obras da carne (Gálatas 5.19-21) e num fruto de alegria à conversão, e por fim, tornarmos participantes da glória que se há de manifestar, “vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou” (Colossenses 3.10)...

Será mesmo que todas as pregações que se presencia na grande maioria dos púlpitos estão condizentes com o Evangelho de Cristo Jesus? Um Evangelho voltado para resgatar almas para o Reino de Deus, um Evangelho que nos liberta das correntes do pecado, um Evangelho essencialmente espiritual!

Jesus foi enfático quando nos revelou em João 16.33, que “no mundo tereis aflições”, assim sendo, não há que esperarmos como que por um milagre, tudo a nossa volta ser um mar de rosas! Terrível engano quando se pensa que ser crente é viver rodeado de bonança, fartura, prosperidade...

De outra sorte, nosso amado irmão Paulo, assim nos assevera, “Sofre, pois, comigo, as aflições..." (2Timóteo 2.3).

Portanto, como servos de Cristo, não façamos como os demais que descartam o Evangelho de Jesus em prol de benesses, precisamos renunciar a tudo o que está sendo proposto, pois, tudo que presenciamos é por demais fácil (entre tantos milhares, veja um exemplo: http://bereianos.blogspot.com/2008/12/as-aventuras-em-um-culto-proftico.html), e não foi para isto que Jesus nos chamou...

Fomos chamados para sofrer pelo amor ao nome do Senhor Jesus:

Palavra fiel é esta: que, se morrermos com ele, também com ele viveremos; Se sofrermos, também com ele reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará; Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo.” (2Timóteo 2.11-13)

E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.” (Mateus 10.22)

“... Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós...” (João 15.20)

Mas, fiel é Deus que nos consola:

Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.” (Romanos 8.18)

E, por fim, a advertência:

Assim, pois, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo.” (Lucas 14.33)
...

2 comentários:

Márcia Gomes disse...

Olá! Estou fazendo uma visitinha
Gostei deste post, é verdade amigo ninguém quer saber mais de ser participante das aflições de Cristo, ou co- herdeiro de seus sofrimentos, a palavra de ordem agora é Quero |Benção! Ainda bem que o nosso Deus renova sua misericordia todas as manhãs....na verdade deveríamos estar falando em arrependimento....
abraços,
Márcia Gomes

james disse...

Graça e paz vos sejam multiplicadas, irmã Márcia Gomes.

A falta de exame das Sagradas Escrituras, está levando milhares e milhares à perdição, realmente como afirma, deveríamos falar de arrependimento, mas, os evangélicos estão preocupados com as barganhas dizimistas no “Quero bênção!”

Fraternalmente.

James, presbítero.