Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 14.abr.2017, Jeremias 18

Então veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:
Não poderei EU fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o SENHOR. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na Minha mão, ó casa de Israel.
[Isaías 64.8; 45.9; Mateus 20.15; Jeremias 18.4; Daniel 4.23]
No momento em que falar contra uma nação, e contra um reino para arrancar, e para derrubar, e para destruir,
[Jeremias 1.10; 12.14-17; 25.9-14; 45.4; Amós 9.8]
se a tal nação, porém, contra a qual falar se converter da sua maldade, também EU ME arrependerei do mal que pensava fazer-lhe.
[Jeremias 26.3,13; Ezequiel 18.21; Juízes 2.18]

[628,570]

outubro 31, 2009

E disse Jesus: “Acautelai-vos, que ninguém vos engane”

.
O cuidado que nosso Senhor Jesus Cristo tem pelo Seu rebanho, as ovelhas que o Pai lhe deu, é incondicional, não as deixa só, e as fortalece através de Seu ensinamento, fazendo advertências quanto a homens amantes de si mesmos que utilizam da Palavra de Deus para vangloriarem e trazerem para si, a glória devida ao Senhor.

Nosso tempo presente, em toda a história da Igreja, é mais do que nunca, um reflexo, como num espelho, de tudo quanto o Senhor afirma através das Sagradas Escrituras, ao que os homens religiosos com seus títulos eclesiásticos estão fazendo de milhares de incautos e meninos inconstantes na fé. Ao bem da verdade, a maioria dos pastores atuais, são sectaristas vaidosos que comungam com suas posições infantis e heréticas, pensam ser os donos da verdade, que são os melhores exegetas do mundo, que são o depósito da fé, que são os preferidos do Senhor.

Em nenhum momento, a Bíblia transmite pela vontade divina, o que presenciamos nas igrejas evangélicas, e muito menos nas outras; as religiões de nosso tempo e o cristianismo não são o pensamento de Deus, e, muito menos, o de ter igrejas como centros organizados do cristianismo.

O pensamento de Deus é o de ter um povo na terra no qual, e no meio do qual, Cristo é tudo em todos. Esta é a Igreja.

Estaríamos equivocados quanto ao que estamos, aqui, afirmando??

Por exemplo, os evangélicos pregam o cristianismo, os católicos idem; mas estes dois grupos religiosos não dividem uma mesma doutrina e um mesmo entendimento ao ensinamento bíblico!

Cuidado para não ser enganado pelos homens!

O engano ficará cada vez mais forte até que Jesus venha. E como este engano está operando!

A cada dia, as igrejas evangélicas se distanciam do Alvo, Jesus! Todos os ensinamentos de homens, as doutrinas ensinadas, são diretamente ligados a busca de enriquecimento e soluções de problemas financeiros desta vida; ensinam que Deus, Dono do ouro e da prata, há de derramar bênçãos aos que, através de dízimos e ofertas, doam aos homens e as suas igrejas templos de tijolos.

Mas, devemos estar esperando a Sua Volta e não duvidando da Sua promessa de voltar, porém, quando o homem se preocupa com os problemas do dinheiro, logicamente, se preocupa com o dia de amanhã, e Jesus deu ênfase a esta ansiedade, pois, o dia de amanhã cuidará de si mesmo [Mateus 6]; devemos esperar um cumprimento literal da Sua Vinda; devemos esperá-la com confiança e fé, apesar do fato que seja muito tempo e o mundo zombe dela; e como a maioria dos evangélicos e seus líderes a tem zombado!

Muitos estão se escondendo atrás da chamada “teologia”, para introduzirem ensinamentos que contradizem a Palavra de Deus, distorcendo as Sagradas Escrituras com falsas afirmações, lendas, querendo que muitos se enfraqueçam na fé;

Criam desvios na Palavra de Deus, iludem com falsas afirmações bíblicas, utilizam de versículos que não são aplicados ao tempo presente, a nós, os gentios; uma hermenêutica demoníaca, onde profanam a vontade divina a que se deve buscar primeiro o Reino de Deus e a Sua justiça, tentando esconder que Deus irá conceder todas as necessidades através de ofertas mirabolantes, na compra dizimista, que as igrejas templos de tijolos são locais exclusivamente santos, ensinam vãs filosofias, divulgam crenças, mas, nada disso existe pela Palavra de Deus!! Pura heresia, Cristo nos advertiu sobre todas as coisas que deveríamos presenciar e suportar; Jesus nos ama, e deu de Si por amor de nós. Aleluia! Amém!

Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa” [Apocalipse 3].

.
___________________

outubro 30, 2009

A Lei é impotente para salvar

.
Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios (somos nós!), anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: “Todas as nações serão benditas em ti”.

Todos aqueles, pois, que são das obras da Lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da Lei (Torá), para fazê-las [Gálatas 3].

E quais as obras da Lei?

A Lei Mosaica é composta de todo o código de leis, formado por 613 disposições, ordens e proibições, tais como, guarda do sábado, carne de porco, vestimenta (os tzitziot, “franjas com nós”), homens não devem raspar o cabelo das laterais de suas cabeças e barbear-se com uma lâmina, dizer o Shemá Israel duas vezes ao dia, usar tefilin (filactérios) na cabeça, circuncidar todos os indivíduos do sexo masculino em seu oitavo dia, etc, sem nos esquecer dos dízimos.

Mas, Jesus, digamos, “revolucionou” a vida religiosa e espiritual, legando para seus seguidores as chaves do Reino de Deus; porque em nossos dias, tantos líderes religiosos relatam uma crescente insatisfação no seio de muitos seguimentos da família cristã?

Podemos observar que a história se repete. Na verdade, isso já é registrado na Bíblia:

O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol” [Eclesiastes 1].

Os fariseus da época costumavam gabar-se da mais estrita observância da Lei mosaica e dos seus 613 preceitos rabínicos, hipervalorizavam pequenos detalhes...

Existem certos paralelos entre a ortodoxia judaica no tempo do ministério terreno de Jesus e a ortodoxia cristã atual, como a observância do sabath pelos judeus, com seus holocaustos e cerimônias no templo ou nas sinagogas, e os serviços religiosos dos cristãos modernos; o estrito pagamento do dízimo sobre toda a produção obtida pelos judeus e o pagamento do dízimo efetuado pelos evangélicos sobre os salários e outras rendas; a obediência a Lei mosaica e a crença nas doutrinas e dogmas das igrejas evangélicas.

E é evidente que pela Lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé.

Cristo nos resgatou da maldição da Lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: "Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro"; para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebamos a promessa do Espírito.

Ora, as promessas foram feitas a Abraão e a sua descendência. Não diz: E as descendências, como falando de muitas, mas como de uma só: "E a tua descendência, que é Cristo".

Porque, se a herança provém da Lei, já não provém da promessa; mas Deus pela promessa a deu gratuitamente a Abraão.

Logo, para que é a Lei?

Foi ordenada por causa das transgressões, até que viesse a posteridade a quem a promessa tinha sido feita; e foi posta pelos anjos na mão de um medianeiro. Ora, o medianeiro não o é de um só, mas Deus é um.

Logo, a Lei é contra as promessas de Deus?

De nenhuma sorte; porque, se fosse dada uma Lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela Lei.

Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos crentes” [Gálatas 3].

Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da Lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar. De maneira que a Lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados.

Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio!

.
________________________

outubro 27, 2009

Dízimos e ofertas. Muitos querem que Deus volte atrás com Sua Palavra!!

.
A única intenção deste trabalho é esclarecer os milhões de crentes que estão sendo explorados por pastores inescrupulosos, com respeito ao ato de dizimar e ofertar.

Durante anos, temos visto as doutrinas ao redor do assunto do dinheiro, numa indução consideravelmente perversa.

Iniciando a leitura bíblica em Gênesis, nos relatam as Sagradas Escrituras que o Senhor Deus perante a queda do homem, afirma que, tudo o que desejarmos em nossas vidas, deverá ser adquirido através do suor de nosso rosto [Gênesis 3].

Não se adquire nada nesta vida sem que haja sacrifícios.

Jesus se fez sacrifício por nós na cruz do Calvário para nos trazer a salvação.

Quando almejamos os céus, se faz necessário que sacrifiquemos nossos desejos carnais, deixemos as concupiscências, os prazeres, pois, devemos empregar força para entrar no Reino de Deus [Lucas 16].

E sobre Deus voltar atrás com Sua Palavra??

Pois bem, quantos e quantos buscam em suas igrejas através de dízimos e ofertas, alcançarem a solução de problemas, adquirirem a casa própria, um carro novo, uma firma, a independência financeira??

E para que se resolvam estes problemas, os dízimos e ofertas são a solução??

Isto é sinal de fidelidade??

Diante este exposto, examinando as Sagradas Escrituras, voltando a Gênesis e Adão, encontramos a afirmação: "do suor do teu rosto"!!!

Deus lançou Adão fora do Jardim do Éden, para lavrar a terra e para comer do suor de seu rosto. Portanto, se alguém quer receber qualquer coisa, por menor que seja, deve buscar com suas próprias forças, de seu esforço pessoal, pois, se quiser tais dádivas através de dízimos e ofertas, certamente estará querendo que Deus volte atrás com Sua Palavra!!

Deus não faz acepção de pessoas, se Adão teve que adquirir com o suor de seu rosto, logicamente, nós também, devemos derramar o nosso!!

Deus abençoa a todos! Bênçãos espirituais, nos lugares celestiais em Cristo [Efésios 1]!!

O uso indevido de Mateus 25.23 - “Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei”

A parábola dos dez talentos nos discorre de um homem que partindo para outra terra entregou os seus bens aos seus servos, e, em seu retorno requereu então, os talentos que havia confiado, pois bem, notamos que nesta mensagem iremos constatar que o Senhor falara de talentos, e que a luz do evangelho é a necessidade de estarmos vigilantes e preparados para servir aos propósitos do Reino de Deus...

... mas, alguns (maliciosamente) transmitem que, aos que ofertarem e dizimarem para as igrejas evangélicas templos de tijolos, fielmente, através de Deus haverá o retorno das bênçãos desejas com base nesta afirmação: “Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei”...

... porém, precisamos examinar as Escrituras e buscar entendimento bíblico para que possamos ir além do que é pregado pelos homens, assim, nesta parábola, Jesus em momento nenhum afirmou sobre ofertas e dízimos ou algo com referência a dinheiro, mas tão somente a nossa fidelidade ao Senhor no que diz respeito a servirmos a Deus... e para tal, aos que por amor a obra de Deus, permaneceram fiéis, fizerem bom uso dos talentos, diz o Senhor: “entra no gozo do teu Senhor”.

... entretanto, não se refere a receber algo nesta vida, material, mas na vindoura, espiritual, vez que, aos negligentes, nesta mesma parábola se faz referência as “trevas exteriores".

A igreja de Laodicéia

Pelos relatos bíblicos a referida igreja afirmara: “Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta”...

... entretanto, o Senhor lhe declarou com firmeza: “és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu”...

... e assim amavelmente aconselhou que: “de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas” [Apocalipse 3].

Aliás, não encontramos respaldo bíblico para que os dízimos e as ofertas sejam para a manutenção do luxo em templos de tijolos das igrejas evangélicas.

Eis, pois, o que precisamos em nosso tempo presente que, tão somente, sejamos irrepreensíveis para a gloriosa vinda de nosso Senhor, que nos amemos, que auxiliemos aos pobres e necessitados, visitar aos doentes, dar a quem tiver fome, a quem tiver sede, dar o que beber, aos que estão na prisão, ir vê-los, aos nus, vesti-los.

Lembremo-nos de 1Coríntios 16, 2Coríntios 8 e 9, onde, nosso amado irmão Paulo, por inspiração divina, discorre sobre as ofertas, entretanto, para que se possa trazer ajuda aos pobres e necessitados, primeiramente aos domésticos da fé, e, no intuito de ajudar ao próximo como nos relata Mateus 25.34-46.

Dizimar e ofertar em igrejas evangélicas templos de tijolos, somente enriquece aos cofres religiosos e pastores. Nada mais!!!

.
________________________

outubro 25, 2009

A visão do trono da Majestade Divina

.
E eis que um trono estava posto no céu, e Um assentado sobre o trono.

O que estava Assentado era, na aparência, semelhante à pedra jaspe e sardônica; e o arco celeste estava ao redor do trono, e parecia semelhante à esmeralda.

Ao redor do trono havia vinte e quatro tronos; e assentados sobre os tronos vinte e quatro anciãos vestidos de vestes brancas; e tinham sobre suas cabeças coroas de ouro.

E do trono saíam relâmpagos, e trovões, e vozes; e diante do trono ardiam sete lâmpadas de fogo, as quais são os sete espíritos de Deus.

E repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, o espírito de sabedoria e de entendimento, o espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do SENHOR” [Isaías 11].

Havia diante do trono um como mar de vidro, semelhante ao cristal. E no meio do trono, e ao redor do trono, quatro animais cheios de olhos, por diante e por detrás.

O primeiro animal era semelhante a um leão, e o segundo animal semelhante a um bezerro, e tinha o terceiro animal o rosto como de homem, e o quarto animal era semelhante a uma águia voando.

Os quatro animais tinham, cada um, seis asas, e ao redor, e por dentro, estavam cheios de olhos; e não descansam nem de dia nem de noite, dizendo:

Santo, Santo, Santo, é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, que era, e que é, e que há de vir” [Apocalipse 4]!

E, quando os animais davam glória, e honra, e ações de graças ao que estava assentado sobre o trono, ao que vive para todo o sempre, os vinte e quatro anciãos prostravam-se diante do que estava Assentado sobre o trono, e adoravam O que vive para todo o sempre; e lançavam as suas coroas diante do trono, dizendo:

Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas” [Apocalipse 4].

.
________________________

outubro 24, 2009

Quem é endemoninhado, diabólico???

.
As coisas terrenas tem demasiadamente absorvido muitos pensamentos hoje. Muitos não têm sido capazes de fixar a atenção inteiramente em nosso Salvador.

E neste frenesi terreno, por quantas vezes, ouvimos da boca de pastores, em tom de agressividade, que fulano de tal ou sicrano é um endemoninhado!!

Basta ser contrário a qualquer coisa do que eles vivem e falam, e pronto, você é um endemoninhado!!

Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos” [Mateus 22].

Eu posso testemunhar de alguns...

Conheço um pastor na cidade de Belo Horizonte, que vez por outra, aos que foram membros da igreja “dele”, e com o passar do tempo foram saindo, podia-se ouvir lá do púlpito o pastor assembleiano abrindo a boca para dizer que os dissidentes de “seu” ministério eram endemoninhados!!

O mais interessante é que este mesmo pastor, tem como meta evangélica, começar a levantar templos, fazer fofoca entre os membros para que estes saiam e depois vender a obra da igreja erguida com dinheiro dos dízimos e ofertas de irmãos, e embolsar o lucro da venda, aliás, a foto que ilustra este comentário é uma das quais ele vendeu!!

Há outro pastor, assembleiano também, que vive pregando sobre prosperidade material, defende pastores famosos televisivos, e como sou terminantemente contrário a teologia da prosperidade, assim se refere a minha pessoa: “não sabem o revolucionário e diabólico que é”!!

O mais certo que podemos chegar a concluir destes homens religiosos, pastores de terno e gravata, é que tudo e todos, devem andar conforme seus ideais, suas ordens e não conforme o evangelho de Cristo.

Mas, digno de toda honra e glória é, e será, o Senhor Jesus que, em Seu ministério terreno combateu tudo e todos os que atavam fardos pesados e difíceis de suportar e os colocavam sobre os ombros dos homens, o que sem dúvida, podemos notar em nosso tempo presente, por estes pastores que proferem palavras contra aqueles que almejam fazer a obra divina e não para serem vistos e enriquecidos pelos homens.

E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado” [Mateus 23].

Por certo, o tentador sabe para quem aparece!!!

.
_____________________

outubro 22, 2009

Pesquisadores identificam sintomas de câncer de ovário

.
Estudo feito na Inglaterra relacionou o câncer de ovário a pequenas mudanças no organismo da mulher que muitas vezes passam despercebidas.

O câncer de ovário é uma doença que pode ser tratada e curada mais facilmente se for descoberta no começo.

Um estudo feito na Inglaterra relacionou o câncer de ovário a pequenas mudanças no organismo da mulher que muitas vezes passam despercebidas, mas podem servir como sinais de alerta.

Uma dorzinha incômoda na barriga e aumento na vontade de urinar. “Pensei que pudesse ser bexiga, não ovário, jamais pensei que fosse ovário”, fala Maria Margarete Palomares Jacobs, dentista.

Era câncer de ovário. Quando recebeu o diagnóstico Margarete já estava com vários tumores. Passou por cirurgia e fez quimioterapia.

Muitos casos de câncer de ovário são descobertos num estágio já avançado. E isso diminui as chances de cura. Para os médicos esta é uma doença que dá poucos sinais de alerta. Mas agora, pesquisadores conseguiram identificar alguns sintomas que podem ajudar num diagnóstico mais rápido.

Um estudo feito na Inglaterra mostrou que antes da doença ser diagnosticada, as pacientes com câncer de ovário se queixaram de:

- dor no abdome
- inchaço no abdome
- dor constante na região da vagina
- aumento na vontade de urinar várias vezes ao dia
- sangramento
- falta de apetite
- alterações no intestino, como diarréia ou prisão de ventre.

Esses sintomas, mesmo sendo inespecíficos, que podem estar relacionados com outros problemas eles tem que ser investigados, tem que ser investigados e podem estar relacionados com doenças mais graves como câncer de ovários”, diz Glauco Baiocchi Neto, diretor de ginecologia do Hospital do Câncer.

Um hospital em São Paulo que trata a doença, estima que no Brasil são registrados cerca de nove mil casos de câncer de ovário por ano – 80% conseguem se curar, quando descobrem cedo.

Quando procuram tratamento tarde demais, o índice cai para 25%. Maria Margarete, que está curada, agora fica mais atenta aos sinais do corpo.

Tem que observar seu corpo e qualquer sintoma que saia da normalidade, você deve procurar um médico”.

Fonte: jornalhoje

.
_____________________

outubro 20, 2009

Amor ao próximo, vigilância, pureza

.
Não podemos dever a ninguém coisa alguma, a não ser o amor com que nos amamos uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.

Com efeito: Não se adultera, não mata, não furta, não dá falso testemunho, não cobiça; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.

O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor [Romanos 13].

Conhecendo o tempo, já é hora de despertarmos do sono!!

Nosso amado irmão Paulo já há muito dizia que a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé, ou ainda necessitais buscar igrejas evangélicas dizimando e perdendo tempo em querer adquirir as riquezas materiais, resolver problemas financeiros??

A noite é passada, e o dia é chegado!

Rejeitemos, pois, as obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz [Efésios 6 – a armadura de Deus].

Andemos honestamente, como de dia; não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja, mas, apliquemos em nossas vidas a exortação do Salmo 1, é urgente a necessidade de se confrontar o que está sendo pregado nos púlpitos, nas igrejas evangélicas templos de tijolos, nos programas televisivos! Usurpam dos dízimos e das ofertas como forma de enriquecimento ilícito, pregam prosperidade e tantas outras heresias, mas o fundamento do evangelho que é o amor ao próximo, eles não praticam! Criaram cartéis religiosos, onde somente eles é que determinam as regras, esquecem que o propósito do evangelho é o arrependimento, é a transformação do homem para Cristo, é a salvação da alma, é almejar a vida eterna com Cristo.

Precisamos ser como os nobres bereanos [Atos 17]!! Exemplos não nos falta!

Existem, ainda, algumas comunidades virtuais que são verdadeiros redutos religiosos, donde a miscigenação doutrinária confunde mentes e fracos na fé, comunidades que visam no aumento do número de membros comunitários algo honroso. Acautelai-vos!!

Mas, precisamos sem demora, nos revestir do Senhor Jesus Cristo, e não ter cuidado da carne em suas concupiscências.

A maioria de um povo, que se diz evangélico, é como os alfabetizados brasileiros, lêem a Bíblia, mas não tem entendimento do que lêem!! E o pior, aceita tudo o que é ensinado nas igrejas, em programas televisivos e em muitas das comunidades virtuais!!

.
__________________

outubro 19, 2009

A impenitência dos homens. A justiça de Deus.

.
Portanto, é inescusável quando se julga quem quer que seja, porque se condena a si mesmo naquilo em que julgas a outro; pois, quem julga, faz o mesmo.

Entretanto, como servos (inúteis) de Deus, deve-se julgar fazendo um juízo crítico quanto aos atos dos homens segundo a Palavra de Deus, permeando assim que, “Não julgueis segundo a aparência; mas julgai segundo a reta justiça” [João 7].

Sabendo que esse julgamento não é para se condenar a outrem, mas para se prevalecer a verdade do evangelho de paz, que é o anúncio da salvação na pessoa de Cristo.

E bem sabemos que o juízo de Deus é segundo a verdade sobre os que tais coisas fazem. E julgar os que fazem tais coisas, cuida que, fazendo-as, escapa ao juízo de Deus?

Ou se despreza as riquezas da Sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus leva ao arrependimento?

Mas, segundo a dureza e coração impenitente, entesoura ira para si no dia da ira e da manifestação do juízo de Deus;

O qual recompensará cada um segundo as suas obras; a saber:

- A vida eterna aos que, com perseverança em fazer bem, procuram glória, honra e incorrupção; Mas,

- a indignação e a ira aos que são contenciosos, desobedientes a verdade e obedientes a iniquidade; tribulação e angústia sobre toda a alma do homem que faz o mal;

Glória, porém, e honra e paz a qualquer que pratica o bem;

Porque, para com Deus, não há acepção de pessoas” [Romanos 2].

Porque, quando os que não têm a lei do antigo pacto divino, fazem naturalmente as coisas que são da lei (dízimos, guarda do sábado, exigências religiosas), não tendo eles lei, para si mesmos são lei.

Os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os; no dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o evangelho de Cristo.

.
________________________

outubro 17, 2009

Conhecendo a Bíblia - 45ª parte – ATOS DOS APÓSTOLOS

.
Lucas conta a história da Igreja antiga dentro da estrutura de detalhes geográficos, políticos e históricos que podiam encaixar-se apenas no século I.

Portanto, por causa desses fatos e porque o livro não registra a morte de Paulo, apesar de deixá-lo prisioneiro em Roma, pode-se datar a redação de Atos como próxima a prisão do apóstolo naquela cidade por volta de 62 dC.

Atos é uma sequência da vida de Cristo nos evangelhos, registrando a disseminação da cristandade de Jerusalém a Roma. É a iniciação da Grande Comissão de Jesus pra formar discípulos de todas as nações [Mateus 28.18-20; Lucas 24.46-49].

Atos 1.8 é a chave do livro. Esse versículo prediz o derramamento do Espírito Santo e seu poderoso testemunho. Em geral, Atos relaciona a expansão da cristandade passo a passo para o oeste, desde a Palestina até a Itália. O livro portanto, começa em Jerusalém [capítulos 1-7]. Como Pedro assumindo o papel principal e os judeus como receptores do evangelho.

Depois da morte de Estevão [7.60-8.1], a perseguição espalhou-se conta a Igreja, e os crentes se dispersaram [Caps. 8-12]. Durante esse período da história, ocorreu a conversão de Saulo [capítulo 9], um acontecimento de tamanha importância que Lucas inclui três longas descrições sobre o incidente [capítulos 9; 22; 26].

A maior seção de Atos enfoca o desenvolvimento e expansão do ministério gentio comandado por Paulo e seus colaboradores [13.28]. O livro termina abrupto, pois tudo indicava que Lucas tinha atualizado o assunto, e não havia mais o que escrever.

Atos registrou vários exemplos da proclamação apostólica do evangelho de Jesus Cristo, e o modelo é uniforme. Em primeiro lugar, Jesus é apresentado como uma figura histórica [2.22; 10.38]. Em seguida a morte de Jesus é atribuída igualmente a crueldade do homem e ao objetivo de Deus; os judeus O haviam “crucificado” por “mãos de injustos” [2.23].

Por outro lado, Jesus tinha sido “entregue pelo determinado conselho e presciência de Deus” [2.23; 17.3]. Então a ressurreição de Jesus é enfatizada, especialmente como cumprimento da profecia do Antigo Testamento e como revogação de Deus do veredicto do homem sobre Jesus [1.3; 2.24-32; 4.10; 5.30; 10.40-41; 13.30-37; 17.31].

Os apóstolos declaram que Jesus fora exaltado a uma posição de domínio único e universal [2.33-36; 3.21; 5.31]. Desse lugar de honra suprema e poder executivo, Jesus havia derramado o prometido Espírito Santo [2.33], que dá testemunho dEle [5.32] e habilita os crentes [1.8].

Jesus “por Deus foi constituído Juiz dos vivos e dos mortos” [10.42] e retornará triunfante no final dos tempos [1.11].

Enquanto isso, aqueles que acreditam nEle receberão perdão dos pecados [2.21; 3.19; 4.12; 5.31; 10.43; 13.38,39] e o “dom do Espírito Santo” [2.38]. Aqueles que não acreditam serão destinados a coisas terríveis [3.23].

O poder do Espírito Santo através da Igreja é a característica mais surpreendente de Atos. O livro foi até mesmo chamado de Os Atos do Espírito Santo. A Sua obra no livro, entretanto, não pode ser compreendida sem que se veja a relação entre Atos e os evangelhos, que demonstra uma continuidade essencial. Tanto o ministério público de Jesus nos evangelhos quanto o ministério público da Igreja em Atos começaram com um encontro com o Espírito capaz de mudar vidas; em ambos os relatos essenciais dos resultados desse acontecimento.

O poder do Espírito na vida de Jesus O autorizou a pregar o Reino de Deus e a demonstrar o poder do Reino mediante a cura de doente,s a expulsão de demônios e a libertação dos cativos [Lucas 4.14-19; Mateus 4.23]. O mesmo poder em Atos 2 deu a mesma autoridade aos discípulos.

Lucas observa que as pessoas eram “cheias pelo Espírito Santo” [2.4; 9.17], que “recebiam o Espírito Santo” [8.17], que “caiu o Espírito Santo sobre todos” [10.44], que “o Espírito Santo se derramasse sobre também os gentios” [10.45] e que “veio sobre eles o Espírito Santo” [19.6]. Todas essas passagens são equivalentes a promessa de Jesus, de que a Igreja (todos, não alguns) seria “batizada com o Espírito Santo” [1.5; 2.4].

Três destes cinco exemplos registram manifestações específicas do Espírito Santo em que as próprias pessoas participavam. Os presentes no dia de Pentecostes e os gentios da casa de Cornélio falaram outras línguas [2.4; 10.46]; os efésios “falavam línguas e profetizavam” [19.6]. Embora não esteja especificado, normalmente concorda-se que também houve algum tipo de manifestação na qual os samaritanos participaram, pois Lucas diz que Simão viu que “era dado o Espírito Santo” [8.18].

.
________________________

Conhecendo a Bíblia - 44ª parte – JOÃO

.
EVANGELHO SEGUNDO JOÃO

Enquanto era bem provável que João conhecesse as narrativas dos outros três evangelhos, ele escolheu não seguir a sequência cronológica de eventos dos mesmos como uma ordem tópica. Nesse caso, eles podem ter usado as tradições literárias comuns e/ou orais. O esquema amplo é o mesmo, e alguns acontecimentos em particular do ministério de Jesus são comuns a todos os quatro livros.

Algumas das diferenças distintas são:

1) Ao invés das parábolas familiares, João tem discursos extensos;

2) Em lugar dos muitos milagres e cura dos sinóticos, João usa sete milagres que servem como “sinais”;

3) O ministério de Jesus gira em torno das três festas da Páscoa, ao invés de uma, conforme citado nos Sinóticos;

4) Os ditos “Eu sou” são unicamente joaninos.

João divide o ministério de Jesus em duas partes distintas: os capítulos 2-12 dão uma visão de seu ministério público, enquanto os capítulos 13-21 relatam seu ministério privado aos seus discípulos. Em 1.1-18, denominado “prólogo”, João lida com as implicações teológicas da primeira vinda de Jesus. Ele mostra o estado preexistente de Jesus com Deus, sua divindade e essência, bem como sua encarnação.

O livro apresenta Jesus como o único Filho gerado por Deus que se tornou carne. Para João, a humanidade de Jesus significava essencialmente uma missão dupla:

1) como o “Cordeiro de Deus” [1.29], Ele procurou a redenção da humanidade;

2) Através de sua vida e ministério, Ele revelou o Pai.

Cristo colocou-se coerentemente além de si mesmo perante o Pai que o havia enviado e a quem ele buscava glorificar. Na verdade, os próprios milagres que Jesus realizou como “sinais”, testemunham a missão divina do Filho de Deus.

A designação do Espírito Santo como “Consolador” [14.16] é exclusiva de João e significa literalmente. “alguém chamado ao lado”. Ele é “outro consolador”, isto é, alguém como Jesus, o que estendeu o ministério de Jesus até o final desta era. Seria um grave erro, entretanto, compreender o objetivo do Espírito apenas em termos daqueles em situações difíceis. Ao contrário, João demonstra que o papel do Espírito abrange cada faceta da vida. Em relação ao mundo exterior de Cristo, ele trabalha como o agente que convence o mundo do pecado, da justiça e do juízo [16.8-11].

A experiência de ser “nascido no Espírito” descreve o Novo Nascimento [3.6]. Como, em essência, Deus é Espírito, aqueles que O adoram, devem fazê-lo espiritualmente, isto é, conforme comandado e motivado pelo Espírito Santo [4.24]. Além disso, em antecipação do Pentecostes, o Espírito torna-se o capacitador divino para o ministério autorizado [20.21-23].

João revela a função do Espírito Santo em continuar a obra de Jesus, guiando os crentes e a um entendimento dos significados, implicações e imperativos do evangelho e capacitando-os a realizar “obras maiores” do que aquelas realizadas por Jesus [14.12]. Aqueles que crêem em Cristo hoje podem, assim, enxergá-Lo como um contemporâneo, não apenas como uma figura do passado distante.

.
______________________

Conhecendo a Bíblia - 43ª parte – MARCOS

.
EVANGELHO SEGUNDO MARCOS

Em 64 dC, Nero acusou a comunidade cristã de colocar fogo na cidade de Roma, e por esse motivo instigou uma temerosa perseguição na qual Paulo e Pedro morreram. Em meio a uma igreja perseguida, vivendo constantemente sob ameaça de morte, o evangelista Marcos escreveu suas “boas novas”. Está claro que ele quer que seus leitores tomem a vida e exemplo de Jesus como modelo de coragem e força. O que era verdade para Jesus deveria ser para os apóstolos e discípulos de todas as idades. No centro do evangelho há pronunciamentos explícitos de “que importava que o Filho do Homem padecesse muito, e que fosse rejeitado pelos anciãos, e pelos príncipes dos sacerdotes e pelos escribas, que fosse morto, mas que, depois de três dias, ressuscitaria” [8.31]; Esse pronunciamento de sofrimento e morte é repetido [9.31; 10.32-34], mas torna-se uma norma para o comprometimento do discipulado: “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz e siga-me” [8.34]. Marcos guia seus leitores a cruz de Jesus, onde eles podem descobrir o significado e esperança em seu sofrimento.

Marcos estrutura seu evangelho em torno de vários movimentos geográficos de Jesus, que chega ao clímax com sua morte e ressurreição subsequente. Após a introdução [1.1-13], Marcos narra o ministério público de Jesus na Galiléia [1.14-9.50] e Judéia [capítulos 10-13], culminando na paixão e ressurreição [capítulos 14-16]. O Evangelho pode ser visto como duas metades unidas pela confissão de Pedro de que Jesus era o Messias [8.17-30] e pelo primeiro anúncio de Jesus e sua crucificação [8.31].

Marcos é o menor dos evangelhos, e não contém nenhuma genealogia e explicação do nascimento e antigo ministério de Jesus na Judéia. É o evangelho da ação, movendo-se rapidamente de uma cena para outra. O evangelho de João é um retrato estudado do Senhor, Mateus e Lucas apresentam o que poderia ser descrito como uma série de imagens coloridas, enquanto que Marcos é como um filme da vida de Jesus. Ele destaca as atividades dos registros mediante o uso da palavra grega “euteos” que costuma ser traduzia por “imediatamente”. A palavra ocorre quarenta e duas vezes, mais do que em todo o resto do Novo Testamento. O uso frequente do imperfeito por Marcos denotando ação contínua, também torna a narrativa rápida.

Marcos também é o evangelho da vivacidade. Frases gráficas e surpreendentes ocorrem com frequência para permitir que o leitor reproduza mentalmente a cena descrita. Os olhares e gestos de Jesus recebem atenção fora do comum. Marcos enfatiza pouco a lei e os costumes judaicos, e sempre os interpreta para o leitor quando os menciona. Essa característica tende a apoiar a tradição de que Marcos escreveu para uma audiência romana e gentílica.

De muitas formas, ele enfatiza a Paixão de Jesus de modo que se torna a escala pela qual todo o ministério pode ser medido: “Porque o Filho do Homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos” [10.45].

Todo o ministério de Jesus (milagres, comunhão com os pecadores, escolha de discípulos, ensinamentos sobre o reino de Deus, etc.) está inserido no contexto do amor oferecido pelo Filho de Deus, que tem seu clímax na cruz e ressurreição.

Esse livro não é uma biografia, mas uma história concisa da redenção obtida mediante o trabalho expiatório de Cristo. Marcos demonstra as reivindicações messiânicas de Jesus enfatizando Sua autoridade como Mestre [1.22] e Sua autoridade sobre satanás e os espírito malignos [1.27; 3.19-30], o pecado [2.1-12], o sábado [2.27-28; 3.1-6], a natureza [4.35-41; 6.45-52], a doença [5.21-34], a morte [5.35-43], as tradições legalistas [7.1-13,14-20], e o templo [11.15-18].

Título de abertura do trabalho de Marcos, “Princípio do evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus” [1.1], fornece sua tese central em relação a identidade de Jesus como o Filho de Deus. Tanto o batismo quanto a transfiguração testemunham Sua qualidade de Filho [1.11; 9.7]. Em duas ocasiões, os espíritos imundos o reconhecem como Filho de Deus [3.11; 5.7]. A parábola dos lavradores malvados [12.6] faz alusão a qualidade de Filho divino de Jesus [12.6]. Por fim, a narrativa da crucificação termina com a confissão do centurião: “Verdadeiramente, este homem era o Filho de Deus” [15.39].

O título que Jesus usava com mais frequência para Si próprio, em Marcos, é “Filho do Homem”. Como designação para o Messias, este termo [ver Daniel 7.13] não era tão popular entre os judeus como o título “Filho do Homem” para revelar e para esconder Seu messianismo e relacionar-se tanto com Deus quanto com o homem.

Marcos, atentando para o discipulado, sugere que os discípulos de Jesus deveriam ter um discernimento amplo ao mistério de Sua identidade. Mesmo apesar de muitas pessoas interpretarem mal Sua pessoa e missão, enquanto os demônios confessam Sua qualidade de Filho de Deus, os discípulos de Jesus precisam ver além de Sua missão, aceitar Sua cruz e segui-Lo. A segunda vinda do Filho do Homem revelará totalmente Seu poder e glória.

Junto com os outros escritores do evangelho, Marcos recorda a profecia de João Batista de que Jesus “vos batizará com o Espírito Santo” [1.8], Os crentes seriam totalmente imersos no Espírito, como os seguidores de João o eram nas águas.

O Espírito Santo desceu sobre Jesus em seu batismo [1.10], habilitando-O para seu trabalho messiânico de cumprimento da profecia de Isaías [Isaías 42.1; 48.16; 61.1-2]. A narrativa do ministério subsequente de Cristo testemunha o fato de que seus milagres e ensinamentos resultaram da unção do Espírito Santo.

Marcos declara graficamente que “o Espírito o impeliu para o deserto” [1.12] para que fosse tentado, sugerindo a urgência por encontrar e vencer as tentações de satanás, que queria corrompê-Lo antes que se embarcasse em uma missão de destruir o poder do inimigo nos outros.

O pecado contra o Espírito Santo é colocado em contraste com “todos os pecados” [3.28], pois esses pecados e blasfêmias podem ser perdoados. O contexto define o significado dessa verdade assustadora. Os escribas blasfemaram contra o Espírito Santo ao atribuírem a satanás a expulsão dos demônios. Que Jesus realizava pela ação do Espírito Santo [3.22]. Sua visão prejudicada tornou-os incapazes do verdadeiro discernimento. A explicação de Marcos confirma o motivo de Jesus ter feito essa grave declaração [3.30].

Jesus também refere à inspiração do Antigo Testamento pelo Espírito Santo [12.36]. Um grande estímulo aos cristãos que enfrentam a hostilidade de autoridades injustas é a garantia do Senhor de que o Espírito Santo falará através deles quando testemunharem de Cristo [13.11].

Além das referências explícitas ao Espírito Santo, Marcos emprega palavras associadas com o dom do Espírito, como poder, autoridade, profeta, cura, imposição de mãos, Messias e Reino.

.
________________

outubro 14, 2009

Se livrar da verdade?? Banir ou excluir!!

.
Jesus Cristo ensinando o povo que vinha ter com Ele, foi interrogado pelos religiosos no tempo de Seu ministério terreno, acerca de uma mulher apanhada no próprio ato de adultério; diziam eles que, na lei, mandou Moisés que as tais fossem apedrejadas [João 8].

Entretanto, Jesus indagou aos inquisidores que, aquele que nunca errou, acusasse tal mulher!! Pois, que? Saíram todos de mansinho!!

Jesus mesmo sabendo das intenções de Judas Iscariotes, não o excluiu ou baniu da Ceia!!

Quem já não presenciou em alguma denominação religiosa evangélica ou comunidade virtual, algum membro ser excluído ou banido??

Em nosso tempo presente, quem pode aplicar uma condenação de exclusão ou banir a outrem por estar supostamente errado ao seu ponto de vista??

Quem em nosso tempo presente, por qualquer posicionamento eclesiástico que tenha (pastor, presbítero) ou um simples administrador de comunidade virtual (que jamais terá qualquer autoridade em lugar nenhum, somente em seus dedos!!), terá direito a excluir ou banir??

Quem excluir ou banir a outrem, supostamente detém a verdade??

Biblicamente, qual homem pode se posicionar como detentor da verdade??

Excluir ou banir é uma prática perfeita para se livrar de membros indesejados, que não andam conforme o interesse pecaminoso dos que se acham donos da verdade.

Muitas comunidades virtuais são redutos religiosos, administradas por homens que difundem doutrinas adversas a Bíblia, e quando algum membro não se encaixa em seus deleites e procura trazer a verdade do evangelho, o anúncio da salvação na pessoa de Jesus Cristo, são banidos!!

Mas, esta manipulação de membros, as exclusões de igrejas evangélicas e banir membros de comunidades virtuais, já são uma prática antiga, principalmente, quando estes carrascos religiosos pertencem a igrejas evangélicas criadas por homens expulsos de outras!!!

O que seria dos espias em Jericó [Josué 2], se Raabe fosse um destes que gostam de ser chamados líderes evangélicos??

.
__________________________

outubro 12, 2009

Quem vos ensinou a esperar por bênçãos materiais??

.
Jesus no Getsêmani, quando fora abordado pela coorte e oficiais dos principais dos sacerdotes e fariseus, assim se expressou quanto a vontade e os desígnios que o Senhor Deus preparou desde a fundação do mundo:

- ... “não beberei eu o cálice que o pai me deu?” [João 18]

Pois, tudo estava preparado, ainda que, com poder tanto nos céus como na terra, Jesus não ousou, ainda que Filho Amado, desobedecer, mas, “aprendeu a obediência, por aquilo que padeceu” [Hebreus 5].

E, é neste sentido que o apóstolo Paulo, por inspiração divina, assim exorta a todos aqueles que amam a Cristo, pela permanência a manter nosso Alvo, Jesus, e não nos preocuparmos com o que há de ser o dia de amanhã, de nos precaver dos homens de conduta soberba, ensinando a busca do enriquecimento material na troca de ofertas ou dízimos, homens dissolutos, que fazem uma multidão de presa, homens corruptos de entendimento e privados da verdade:

- “Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes” [1Timóteo 6].

E, de outra sorte de bênção, o autor de Hebreus nos admoesta e exorta:

- “Sejam vossos costumes sem avareza, contentando-vos com o que tendes; porque Ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei” [Hebreus 13].

Portanto, necessário se faz que, sejamos todos de uma mesma paciência, sejamos sóbrios, e não nos inquietemos, pois, com as coisas materiais, mas com as advindas do céu, espirituais, com as quais, nos fortaleceremos para as adversidades, ainda que, passando fome e sendo injustiçados, ainda que menos amados, mas amando a todos!!

Nossa rica esperança é a gloriosa vinda de nosso Amado Senhor e Salvador, Jesus Cristo, e não a esperança de enriquecimento material, portanto, aqueles que esperam de Cristo só nesta vida, são os mais miseráveis dos homens...

.
__________________________

outubro 10, 2009

O câncer de mama -Outubro Rosa

.
Todo câncer se caracteriza por um crescimento rápido e desordenado do número de células, que adquirem a capacidade de se espalhar para outras partes do corpo. O câncer também é comumente chamado de neoplasia ou tumor maligno.

O câncer de mama, como o próprio nome diz, afeta as mamas, que são glândulas formadas por lobos, que se dividem em estruturas menores chamadas lóbulos e ductos mamários. É o tumor maligno mais comum em mulheres e o que mais leva as brasileiras à morte, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca).

No Brasil, são cerca de 49 mil novos casos de câncer de mama em mulheres por ano, e esse número vem aumentando nas últimas décadas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O câncer de mama também pode ocorrer em homens, mas em número muito menor.

O câncer de mama é relativamente raro antes dos 35 anos, mas acima dessa idade sua incidência cresce rápida e progressivamente. É importante lembrar que nem todo tumor na mama é maligno. A maioria dos nódulos (ou caroços) detectados na mama é benigna, mas isso só pode ser confirmado por meio de exames.

Quando diagnosticado e tratado ainda em fase inicial, isto é, quando o nódulo é menor que 1 centímetro, as chances de cura do câncer de mama chegam a até 95%. Tumores desse tamanho são pequenos demais para ser detectados por palpação, mas são visíveis na mamografia. Por isso é fundamental que toda mulher faça uma mamografia por ano a partir dos 40 anos.

FATORES DE RISCO

O câncer de mama - e o câncer de forma geral - não tem uma causa única. Seu desenvolvimento deve ser compreendido em função de uma série de fatores de risco, alguns deles modificáveis, outros não.

O histórico familiar é um importante fator de risco para o câncer de mama. Mulheres com parentes de primeiro grau (mãe ou irmã) que tiveram a doença antes dos 50 anos podem ser mais vulneráveis. No entanto, o fator hereditário explica apenas 10% dos casos de câncer de mama.

Entre outros fatores de risco não modificáveis estão o aumento da idade, a menarca (idade da primeira menstruação) precoce, a menopausa tardia, nunca ter engravidado ou ter tido o primeiro filho depois dos 30 anos.

Já os fatores de risco modificáveis bem conhecidos até o momento estão relacionados ao estilo de vida, como o excesso de peso e a ingestão regular (mesmo que moderada) de álcool. Alterá-los, portanto, diminui o risco de desenvolver a doença. No entanto, a adoção de um estilo de vida saudável nunca deve excluir as consultas periódicas ao ginecologista, que incluem a mamografia anual a partir dos 40 anos.

Autocuidado sempre

Esse, aliás, é um dos mitos levantados pela American Cancer Society e que vêm sendo derrubados nas apresentações de Maira Caleffi. "Nenhuma mulher está só, assim como o câncer não é destino de ninguém nem sentença de morte, pois a mamografia é o exame mais indicado para diagnosticar o câncer de mama ainda em fase inicial, aumentando em 95% as chances de cura." A consultora de moda e estilo Helena Montanarini reforça a importância do autocuidado: "A medicina preventiva é positiva. A mulher não pode ter medo de fazer exames, se cuidar. E, infelizmente, muitas ainda adiam qualquer tipo de prevenção." Para a empresária Adriana Trussardi, não há meio termo quando o assunto é câncer de mama. "Já passei por isso na minha família e sei que é uma doença maldosa, que precisa ser tratada com severidade. Mulher nenhuma, então, pode abrir mão dos exames." A estilista Helena Mottin dá exemplo: "Não fujo das minhas responsabilidades. Eu me cuido, vou ao médico. Tenho consciência de quanto a minha saúde é importante."

Detecção precoce

A promoter Gisella Amaral também deu seu depoimento. "Fiquem de olho aberto, pois o câncer precisa ser descoberto bem no começo. A mamografia é o meio mais seguro e eficaz para isso". Quem passou por isso afirma. Lucinha Araújo, mãe do cantor Cazuza e presidente da Sociedade Viva Cazuza, conta que há sete anos descobriu um tumor numa mamografia de rotina. "Era tão pequeno que só precisei me submeter à radioterapia e até hoje faço acompanhamento médico", falou. "A mulher tem de se cuidar", alertou Lucinha.


Fonte: Mulher Consciente

.
______________________

outubro 08, 2009

Cristo, Sumo Sacerdote

.
Visto que temos um grande Sumo Sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão!

Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.

Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.

Porque todo o sumo sacerdote, tomado dentre os homens, é constituído a favor dos homens nas coisas concernentes a Deus, para que ofereça dons e sacrifícios pelos pecados; e possa compadecer-se ternamente dos ignorantes e errados; pois também ele mesmo está rodeado de fraqueza!!

E por esta causa deve ele, tanto pelo povo, como também por si mesmo, fazer oferta pelos pecados. E ninguém toma para si esta honra, senão o que é chamado por Deus, como Arão.

Assim também Cristo não se glorificou a Si mesmo, para se fazer Sumo Sacerdote, mas Aquele que Lhe disse: Tu és meu Filho, hoje te gerei.

Como também diz, noutro lugar: Tu és sacerdote eternamente, segundo a ordem de Melquisedeque.

O qual, nos dias da Sua carne, oferecendo, com grande clamor e lágrimas, orações e súplicas ao que O podia livrar da morte, foi ouvido quanto ao que temia. Ainda que era Filho, aprendeu a obediência, por aquilo que padeceu” [Hebreus 5].

E, sendo Ele consumado, veio a ser a causa da eterna salvação para todos os que Lhe obedecem!


Foto: Em escavações realizadas em Benjamin, norte de Jerusalém, arqueólogos encontraram um sarcófago com as inscrições: Filho do Sumo Sacerdote. Segundo os pesquisadores, esta é a primeira vez que um sarcófago característico do Segundo Templo faz referência a um Sumo Sacerdote. As informações são da agência EFE.

.

outubro 06, 2009

Exortações diversas

.
No demais, irmãos, rogai por nós, para que a Palavra do Senhor tenha livre curso com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho e seja glorificada.

E para que sejamos livres de homens dissolutos e maus; porque a fé não é de todos (2Tessalonicenses 3).

Mas fiel é o Senhor, que nos confortará, e guardará do maligno.

Ora, o Senhor encaminhe os nossos corações no amor de Deus, e na paciência de Cristo.

Porém, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, apartemos de todo aquele que anda desordenadamente.

Porque nós mesmos sabemos como convém imitar ao nosso amado irmão Paulo, pois que não nos houve desordenadamente, nem de graça comeu o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não ser pesado a ninguém.

Não porque não tivesse autoridade, mas para nos dar exemplo, para imitarmos. Porque, nos mandou isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também.

Porquanto alguns andam desordenadamente, não trabalhando, antes fazendo coisas vãs, pagando a outrem para fazer o que lhes são devido.

A esses tais, porém, mandamos, e exortamos por nosso Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando com sossego, comam o seu próprio pão.

E não nos cansemos de fazer o bem.

Mas, se alguém não obedecer a Palavra, notai o tal, e não nos misturemos com ele, para que se envergonhe. Todavia não o tenhamos como inimigo, mas admoestá-lo como irmão.

Ora, o mesmo Senhor da paz nos dê sempre paz de toda a maneira. O Senhor seja com todos nós.

.
_________________________

outubro 05, 2009

O princípio das dores

.
E, dizem alguns a respeito dos templos, que estão ornados, formosos, de pedras e dádivas.

Quanto a estas coisas que vemos, dias virão em que não se deixará pedra sobre pedra, que não seja derribada!!

E muitos perguntam, dizendo: Quando serão, pois, estas coisas? E que sinal haverá quando isto estiver para acontecer?

Mas, Jesus nos diz: “Vede não vos enganem, porque virão muitos em meu nome, dizendo: Sou eu, e o tempo está próximo. Não vades, portanto, após eles. E, quando ouvirdes de guerras e sedições, não vos assusteis. Porque é necessário que isto aconteça primeiro, mas o fim não será logo.

Então lhes disse: Levantar-se-á nação contra nação, e reino contra reino; E haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e pestilências; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu
” (Lucas 21).

Mas antes de todas estas coisas, lançarão mão de muitos santos, e perseguirão aos que insistem em afirmar sobre a verdade, por amor do nome do Senhor.

E acontecerá isto para testemunho!

Devemos propor em nossos corações não premeditar como haveremos de responder; Porque Jesus dá boca e sabedoria a que não poderão resistir nem contradizer todos quantos se opõem!

Pois, muitos são odiados por causa do nome de Jesus. Mas, aos que perseveram na Palavra de Deus, e não em conselhos de homens, não perecerá um único cabelo da cabeça.

Na vossa paciência possuí as vossas almas!!

.
___________________

outubro 04, 2009

Como fora a comunhão aos que morreram antes do surgimento das igrejas evangélicas??!!

.
Os evangélicos categoricamente, afirmam, muitos em tons agressivos que, somente existirá comunhão entre os irmãos, se estes estiverem reunidos em alguma igreja evangélica, ou, como passamos a afirmar, igrejas evangélicas templos de tijolos.

Entretanto, como todos sabemos, as chamadas igrejas evangélicas, subsistem há tão pouco tempo se as relacionarmos com a existência no evangelho de Cristo da igreja primitiva conforme relatado pelos Atos dos Apóstolos, no capítulo 2, no qual encontramos a verdadeira comunhão da Igreja em Cristo, qual seja, versículos 42 a 45:

E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.
E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos.
E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum.
E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister
.”

Pois bem, olhemos pelo tempo da existência de algumas das igrejas evangélicas templos de tijolos mais antigas (os seus frequentadores são maiores conhecedores de suas histórias):

- a primeira Batista nasceu quando um grupo de refugiados ingleses foram para a Holanda em busca da liberdade religiosa em 1608;

- a Assembléia de Deus e a nova doutrina pentecostal, teve seu apogeu inicial através de um de seus principais discípulos, um pastor leigo negro, chamado William Joseph Seymour, na rua Azusa, Los Angeles, em 1906;

- a Adventista do Sétimo Dia foi fundada oficialmente em 1863, 21 anos após o Movimento Millerita (evento ocorrido no ano de 1844);

E, desnecessário se faz, relacionarmos o tempo da existência de igrejas evangélicas templos de tijolos, como Renascer, Universal, Deus é Amor, Internacional da Graça, e mais um milhar de outras.

Mas, conforme nossa indagação título, como podemos ter entendimento do ocorrido com os de outrora, na inexistência deste emaranhado de denominações, as igrejas evangélicas templos de tijolos?

Será que não houve a comunhão entre os irmãos pela não existência de igrejas evangélicas templos de tijolos??

.
_______________________

outubro 02, 2009

Igrejas templos de tijolos

.
Sempre se encontra pessoas que afirmam ser de tal igreja evangélica, que vão a determinada igreja evangélica, que seu pastor é fulano...

Mas, onde encontramos este modelo de igrejas nas Sagradas Escrituras??

Como podemos classificar em nosso tempo presente o que estamos presenciando como testemunhas de um sistema religioso onde, nitidamente é utilizada a Palavra de Deus...

... não para levar as Boas Novas...

... não para pregar o evangelho de Cristo...

... não para ensinar as gentes os ensinamentos de Jesus!

... mas, indo de encontro a este sistema eclesiástico aos moldes medievais, a venda de indulgência, onde, como outrora, prevalece a usurpação a fé alheia...

... na barganha dizimista ou a tentativa de se comprar bênçãos materiais por ofertas de amor, em vão, o enriquecimento jamais cairá dos céus!

Lotam estes locais, milhares frequentam tais templos de tijolos, onde se assenhoreia de homens avarentos que visualizam neste povo, chamado de evangélico, sedento de riquezas, um comércio lucrativo!

Homens que sustentando títulos, enobrecem em serem conhecidos por bispos, pastores, apóstolos, reverendos, verdadeiras hierarquias religiosas criadas pelos homens...

... mas, somente Jesus é o único Pastor!! Deus não habita em templos feitos pelas mãos dos homens, templos de tijolos (1Coríntios 6).

Templos de tijolos, ditas, igrejas evangélicas, com bancos enfileirados na direção de um único e central local, o púlpito, deliberadamente mais alto que os demais... donde os que carregam títulos, proliferam ensinamentos para distorcer que o evangelho seja o anúncio da salvação através da pessoa de Jesus Cristo.

Cultos regrados a músicas, danças...

Voltamos a perguntar: onde encontramos este modelo e sistema de igrejas nas Sagradas Escrituras??

O evangelho de Cristo é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, e jamais será para se incentivar a doar ofertas em prol do enriquecimento e resolver problemas financeiros...

Porque no evangelho de Cristo se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.

Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens que detém este modelo e sistema de igrejas, onde se detêm a verdade em injustiça.

Porquanto, tendo conhecido a Deus, não O glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu...

... dizendo-se sábios, tornaram-se loucos!

.
_____________________