Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 14.abr.2017, Jeremias 18

Então veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:
Não poderei EU fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o SENHOR. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na Minha mão, ó casa de Israel.
[Isaías 64.8; 45.9; Mateus 20.15; Jeremias 18.4; Daniel 4.23]
No momento em que falar contra uma nação, e contra um reino para arrancar, e para derrubar, e para destruir,
[Jeremias 1.10; 12.14-17; 25.9-14; 45.4; Amós 9.8]
se a tal nação, porém, contra a qual falar se converter da sua maldade, também EU ME arrependerei do mal que pensava fazer-lhe.
[Jeremias 26.3,13; Ezequiel 18.21; Juízes 2.18]

[628,570]

novembro 26, 2012

Dízimos e ofertas, quem entrega em “igrejas” é menino na fé

[289407]

É de dar nojo o que tem feito os evangélicos com dízimos e ofertas; um ensino e exigência disfarçados em ser de coração que não tem respaldo bíblico.

Dízimos são bíblicos; Abraão entregou dízimo de despojo de guerra a Melquisedeque que cuja genealogia não é contada entre eles [Hebreus 7]. Cristo não se glorificou a Si mesmo, para se fazer Sumo sacerdote, mas, é Sumo sacerdote segundo a ordem deste Melquisedeque [Hebreus 5].

Porém, qual pastor, bispo, missionário ou apóstolo do século XXI, são figuras de Cristo e possuem o mesmo atributo de Melquisedeque para receber dízimos ou ofertas??
Nenhum!!

Os ministros do evangelho segundo Efésios [4.11] (pastores, bispos, missionários) recebem “autoridade” de Deus para levarem as pessoas a Cristo e velar por elas [Hebreus 13], mas, não há testemunho bíblico de que devem receber dízimos e ofertas para compras de terrenos, construção de templos, carros e aviões, pagamento de funcionários, papel higiênico, material de escritório, sustento de família...

Os irmãos da Igreja [Ekklēsia] que nos testifica a Palavra de Deus [contida na Bíblia], vendiam suas propriedades e dividiam entre os menos favorecidos [Atos 4], entretanto, os lugares apelidados de “igrejas” (igrejas ou comunidades evangélicas) retiram dos pobres seus dízimos e ofertas para a manutenção de prédios, compra de propriedades, e mais uma infinidade de aquisições que Deus não ordenou. Pobres e miseráveis pessoas que são dizimistas em lugares apelidados de “igrejas”.

São fortunas em dízimos e ofertas gastas em “obras” que de Deus nada possuem;

Os ministros evangélicos (pastores, bispos, missionários, reverendos ou apóstolos do século XXI) enganam o povão dizendo que os lugares apelidados de ou instituições religiosas com placas de “igrejas” (igreja instituição, física) são “obra” de Deus, nada mais maligno e fraudulento;

Sejamos, pois, desobedientes a "deus", não ao Deus de Abraão, Deus de Isaque, Deus de Jacó, mas, ao "deus" deste século que cegou o entendimento, não somente dos incrédulos, mas dos que querem ser servidos por Deus pela barganha dizimista...

Deus não ordenou a construção de nenhum lugar e dar-lhe o nome de “igreja”, não há testemunho bíblico sobre isto; quem ensina, recolhe dízimos e ofertas para construção ou manutenção de lugares apelidados de “igrejas” é mentiroso, portanto, o diabo é seu pai.

Entendam que a Igreja de Deus não é um prédio.

Cristo e os apóstolos (que viveram com Cristo) não ensinaram que se deve recolher dízimos e ofertas para a construção ou manutenção de lugares apelidados de ou instituições religiosas com placas de “igrejas” (igreja instituição, física);

Deus irá cobrar das mãos dos que ensinam e recolhem estas besteiras de dízimos e ofertas para uma obra que Deus não ordenou, falsos profetas, como irá cobrar daqueles que entregam seus dízimos e ofertas como cúmplices destes falsos profetas, pois, se entregam dízimos e ofertas é por que são coniventes com quem recebe!!

Jesus disse aos crentes que carreguem sua cruz [Lucas 14], os evangélicos e seus lideres, com seus dízimos e ofertas querem viver um vida regalada a prosperidade material.


Porque dEle e por Ele, e para Ele, são todas as coisas; glória, pois, a Deus eternamente;
Nos interesses da Igreja que Cristo edificou. Amém.


.

novembro 20, 2012

Qual a sua “igreja”??!!

[287270]

O senso comum das pessoas é de imediato citar um nome com características religiosas dos lugares que se reúnem, chamando-os de ‘igrejas’, muito superficial e errôneo, mas, isto é ensinamento do cristianismo, que não foi inventado ou fundado por Cristo; este tal cristianismo é invenção de religiosos e legalizado pelo imperador Constantino no século IV dC.

Com este senso de nomear o lugar apelidado de “igreja” e dar-lhe suma importância, o sistema religioso do cristianismo é firmado na exclusão de pessoas, e não na inclusão;

Exclusão no cristianismo??
Sim, afinal, somente serão considerados de senso comum, aqueles que de alguma forma frequentam ou vão aos lugares apelidados de ou instituições religiosas com placas de “igrejas”, ou, a igreja instituição com placa religiosa, endereço geográfico distinto e sistema teológico próprio.

Entretanto, Cristo edificou Sua Igreja, não com nome ou divisões teológicas.

A Igreja de Cristo são pessoas, seguidores de nosso Senhor e Salvador, “todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso” [1Coríntios 1], que vivem em comunhão não por que somente vão há um lugar distinto erroneamente com nome de “igreja”, mas por que se unem em Cristo e vivem o ensinamento do próprio Cristo; desta maneira, quase todas, ou melhor dizendo, todas as instituições religiosas com placas de “igrejas” (igreja instituição, física) que existem em nosso tempo e que a maioria foi criada a partir da idade média, nada possuem de ou nada tem haver com Cristo, somente insinuam dEle mas não praticam Suas obras.

Não há ensinamento na Palavra de Deus [contida na Bíblia] que nos testifica que seremos seguidores de Cristo, comumente chamados de cristãos, se e somente se formos frequentadores de lugares apelidados de ou instituições religiosas com placas de “igrejas” (igreja instituição, física).

É importante lembrar que os lugares apelidados de ou instituições religiosas com placas de “igrejas”, geralmente chamados de comunidades ou igrejas evangélicas são filhas da instituição católica, somente divergem em alguns aspectos religiosos, permanecendo a idolatria, os católicos com imagens e os evangélicos aos seus lideres e aos lugares que se reúnem.

Os defensores, donos e presidentes dos lugares apelidados de ou instituições religiosas com placas de “igrejas” (igreja instituição, física) possuem um medo avassalador dos que se afastam de seus domínios; pois que, para estes defensores, somente adentrando em seus estabelecimentos religiosos é de quem deriva a salvação (quando falam sobre ela), por que precisam impor suas vontades e no âmago de seus ventres espoliarem, tirar de outrem com artimanha, apossando em fraude da fé alheia; e o pior, possuem seguidores medonhos na defesa de seus interesses escusos e de insensatos que precisam se apoiar, apalpar em alguém, por não vislumbrarem ao Deus invisível e que a “fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem” [Hebreus 11]...

A verdade bíblica apresentada por Paulo em 2Timóteo 2.10 nos afirma que encontramos salvação é em Cristo e não em lugares apelidados de ou instituições religiosas com placas de “igrejas”, a fé não tem fronteiras e não precisa de instituições; tudo recebemos de Deus pela graça que há em Cristo Jesus sem nada exigir dos que, em verdade, O seguem, os crentes.

Entendam que a Igreja de Deus não é um prédio. A Palavra de Deus [contida na Bíblia] nos contempla a buscar a Deus, tão somente, e que em amor independente de onde estamos ou vivemos ou nos reunimos, e não por que estamos indo a um lugar apelidado de “igreja”, somos a Igreja [Ekklēsia], uma família em Deus, vivenda na prática de buscar a Cristo...

Eis o ensinamento pela Palavra de Deus [contida na Bíblia] que testifica da verdadeira Igreja, que não é ensinado pelos lideres dos lugares apelidados de ou instituições religiosas com placas de “igrejas” (igreja instituição, física):

Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto.
Porque Ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio,
na Sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em Si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades.
E, vindo, Ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longe, e aos que estavam perto;
Porque por Ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito.
Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus;
Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina;
No qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor.
No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito.
” [Efésios 2]

É por isso que como desigrejado critico os lugares apelidados de ou instituições religiosas com placas de “igrejas” (igreja instituição, física), por que a Igreja de Deus são pessoas...
... se você reúne num lugar, graças a Deus, mas, não dê importância ao lugar!

Afinal, ser desigrejado não significa que a pessoa está deixando a Cristo, apenas está se desvinculando ou não frequentando lugares apelidados de "igrejas"...


Porque dEle e por Ele, e para Ele, são todas as coisas; glória, pois, a Deus eternamente;
Nos interesses da Igreja que Cristo edificou. Amém.


.

novembro 13, 2012

Evangélicos acham ser mais sábios; sendo “líder” então...

[285450]

A internet tem proporcionado (o que há muito não havia) debates acerca da Palavra de Deus [contida na Bíblia]; e muitos são os assuntos bíblicos.

Mas, infelizmente, a descontextualização das Sagradas Escrituras é o primordial dentre os debates; os evangélicos tiram contexto num único versículo, tornando-o absoluto, assim como fazem os seus lideres religiosos em seus patéticos programas televisivos.

E imprescindível termos o compreensão de que em esta época atual, as pessoas mais capacitadas ainda possuem muitas incertezas, porém, o problema, é que a grande maioria dos evangélicos está cheia de certezas...

... menosprezam o sofrimento vicário de Cristo em troca na cura de doença, em prol de uma bem-sucedida carreira profissional, na aquisição de bem imóvel, carro novo, namorado ou marido; enfim, seguindo a lideres religiosos, enchem-se de sabedoria patética firmada na crendice em tradições ocultas na barganha e em homens religiosos (lideres evangélicos, pastores, bispos, missionários, após“tolos”, reverendos) que visam roubar da fé alheia!

A maioria dos evangélicos tornou-se mestres, mas, em isolar versículos e tirando-os de seu contexto bíblico, os insere em um contexto prosélito, do qual faz de meninos na fé verdadeiros religiosos que, cegos, seguem a qualquer asneira que se profere dos púlpitos evangélicos nos lugares em que se reúnem e que infames chamam de “igreja”;

Este povo evangélico é contumaz e rebelde, não leem as Sagradas Escrituras, apenas vez por outra, seguem os poucos versículos que seus lideres insanos ditam nas liturgias...

É necessário entender e reconhecer que tudo quanto temos como privilégios (os crentes), tais como talentos e dons, nada possuímos de nós mesmos, tudo vem de Deus, entretanto, os evangélicos vivem talentos e dons como motivo de serem superior a outrem, como status e orgulho, exaltam-se em egoísmo, proferem jactância em sabedoria.

Muitos evangélicos creem que nada os falta, por que se sentem reinantes em seus lugares apelidados de “igrejas” (a igreja instituição). Pobres miseráveis!!
Jactância 
1 vanglória; soberba
2 ufania; arrogância;
3 amor-próprio;
4 vaidade;
5 fanfarronice;
É com base bíblica que proclamo em prol do Reino de Deus, para que as pessoas não busquem “igrejas”, não andem atrás e não ouçam homens de títulos religiosos (pastores, bispos, missionários, apóstolos”, reverendo, padres, médiuns, sacerdote...), não procurem estabelecimentos religiosos ou religiões; mas, busquem a Deus!!

Entendam que não é preciso sair de casa para buscar a Deus; o SENHOR nos ouve de Seu sublime trono, basta ser contrito de coração, sincero, e quebrantado, assim como o fez o jovem Daniel.
"Então me disse: Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras; e eu vim por causa das tuas palavras." [Daniel 10]

Os evangélicos são coniventes com seus lideres e se acham os mais sábios. Puro engano!!
Ninguém se engane a si mesmo. Se alguém dentre vós se tem por sábio neste mundo, faça-se louco para ser sábio.[1Coríntios 3]


Porque dEle e por Ele, e para Ele, são todas as coisas; glória, pois, a Deus eternamente;
Nos interesses da Igreja que Cristo edificou. Amém.


.

novembro 07, 2012

As “igrejas” não ensinam, produzem normas e regras religiosas.

[283730]

Ao longo dos tempos, muitas são as instituições religiosas com placas de ‘igrejas’ elaboradas e fundadas por homens, cada qual delimitando seu arraial, forjando a própria teologia existencial, criando regras, normas, usos, costumes...
... delimitam o clero patriarcal, do qual somente os familiares e mais chegados ao fundador e presidente da instituição poderá chegar ao estrelato do púlpito, a unção manipulada.

A exemplo dos escribas e fariseus que criaram um sistema complicado de ensinamentos conhecido como a "tradição dos anciãos" [Mateus 15.1-9] , os fundadores das instituições "igrejas", vão criando ao longo dos tempos seus emaranhados sistemas religiosos, onde aprisionam os incautos e meninos na fé, e os que acham que serão servidos por Deus em troca de dinheiro.

Instituições religiosas com placas de ‘igrejas’
1 as “igrejas”
2 igreja instituição
3 lugares apelidados de ‘igrejas’
4 denominações ou congregações ou comunidades evangélicas
5 igrejas evangélicas, católica
6 sistema religioso, cristianismo, religiões

É de extrema importância que as pessoas que frequentam os lugares apelidados de ‘igrejas’, firmem-se somente pelo evangelho de Cristo, sabendo que, é necessária a vida de comunhão;

Porém, a comunhão ou união entre irmãos em Cristo ocorre em qualquer lugar; não importa onde nos reunimos ou onde vivemos;

Professamos com nossas bocas a Cristo como Senhor e Salvador e cremos que Deus O ressuscitou dentre os mortos [Romanos 10], somos pela misericórdia divina pertencentes a Igreja de Deus, com todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso [1Coríntios 1]; nota-se porquanto que, não são necessários lugares apelidados de ‘igrejas’ para se viver em comunhão.

Por apresentar como desigrejado, criticam por ter-me retirado da ‘igreja’ (lugares apelidados de ‘igrejas’); todavia, não me retirei, e muito menos desisti de Cristo; apenas virei as costas para aquilo que não mais vale a pena que eu dê importância...

Pela Palavra de Deus [contida na Bíblia] entendi que a oração é extrema importância para o crente; contrário a isto, nas “igrejas”, a maior preocupação são as finanças e, esse problema as inquieta, dando sempre ênfase total as contribuições...

A maioria dos frequentadores dos lugares apelidados de “igrejas” diz ser tão boas; mas o são por almejar alguma recompensa, e temem o castigo de Deus...

Pela Palavra de Deus, somos ordenados por Cristo a procurar (buscar) os pecadores; entretanto, os lugares apelidados de “igrejas” criaram a crendice de que se devem levar os pecadores as “igrejas”...

Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.
Amém.
[Mateus 28]

Quanto ao tema título, os lugares apelidados de ‘igrejas’ não trazem ensinamento baseado na simplicidade do evangelho para salvação de almas;

Um exemplo clássico, é a imposição religiosa, marca registrada da liderança evangélica (no caso das “igrejas” ou denominações ou comunidades evangélicas); tornou-se obrigatório que o membro destes lugares tenha sua presença assídua; criou-se a crendice de que somente nestes lugares é que se vive a comunhão.

Milhares de evangélicos acreditam na asneira de que seus pastores são “ungidos” e que dão “cobertura espiritual”; acreditam em tudo o que é dito por seus lideres religiosos;

Milhares de evangélicos rompem com suas famílias e amigos em função de seus lugares apelidados de ‘igrejas’ e da religião evangélica;

Milhares de seguidores das religiões, estão se distanciando de Deus em função de seguirem aos homens com títulos da nobreza eclesiástica [pastores, bispos, missionários, após“tolos”, blá, blá, blá] e aceitarem tudo o que estes homens dizem ou fazem.

Deus não importa se você bebe uma cerveja ou vinho...
se tem um gênero musical ♫ ♪ ♫ de preferência que não sejam as patéticas músicas evangélicas ou gospel...
se você assiste a um jogo de futebol e não assiste ao desdém por ridículo ou exagerado dos programas evangélicos da tvs e das rádios...
se tem uma tatuagem... não, nada disto incomoda a Deus!

No entanto, a potente mão de Deus há de pesar contra aqueles que não demonstram amor ao seu próximo, que viram as costas para um mendigo, que vivem em desavenças com vizinhos, que não procuram aos pecadores mas, aos que encontra, os induzem ao matadouro espiritual dos lugares apelidados de ‘igrejas’...


Porque dEle e por Ele, e para Ele, são todas as coisas; glória, pois, a Deus eternamente;
Nos interesses da Igreja que Cristo edificou. Amém.


.