Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 06.ago.2017, João 6

Disse-lhes pois JESUS: Na verdade, na verdade vos digo: Moisés não vos deu o pão do céu;
mas Meu PAI vos dá o verdadeiro pão do céu.
[Êxodo 16.4,8; Salmos 78.23; João 1.9; 6.33,35]
Porque o pão de DEUS é aquELE que desce do céu e dá vida ao mundo.
Porque faz que o Seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos.
[João 6.50; 1João 1.1-2]
Disseram-lhe pois: SENHOR, dá-nos sempre desse pão.[João 4.15; Salmos 4.6]
E JESUS lhes disse: EU SOU o pão da vida; aquele que vem a MIM não terá fome;
e quem crê em MIM nunca terá sede.
[Mateus 11.28; João 5.40; 6.41; Apocalipse 7.16; Isaías 49.10; 55.1-3]

[669,530]

outubro 23, 2008

Santificação!

...
Através de toda a Bíblia, a santificação tem sido um elemento essencial na relação entre Deus e seu povo. Esta qualidade de ser separado do pecado é uma característica fundamental da santidade de Deus, que tem que ser desenvolvida como parte do caráter de seus filhos. Depois de observar brevemente a importância da santificação através de toda a Bíblia, consideraremos as implicações de um texto desafiador na segunda carta de Paulo aos cristãos em Corinto.

Desde a criação, Deus quis um povo santo. Ele desejou uma comunhão especial com os homens que fossem capazes de andar com Ele e falar com Ele numa união especial. Mas a própria natureza de Deus estabelece limites para tal associação. Seu caráter santo não pode permitir ser contaminado pelo pecado e pela corrupção. Os homens só podem estar na sua presença se forem puros.

Adão e Eva andavam no mesmo jardim que Deus, e falavam com Ele. Mas logo pecaram e perderam esta convivência especial. Foram expulsos do jardim do Éden ¬separados de Deus¬ o que foi a morte espiritual que Deus havia prometido como conseqüência do pecado (Gênesis 2.17; 3.23-24). Povo sem santidade não podia permanecer na presença do santo Deus.

Depois que gerações de pecadores morreram num mundo corrompido, Deus escolheu os descendentes de Abraão para serem um povo santo. Ele os separou da má influência dos senhores egípcios e preparou uma terra onde poderiam habitar livres da corrupção dos povos idólatras. Ele até mesmo lhes deu uma lei especial, que ressaltava a distinção entre o puro e o impuro. Deus explicou a necessidade da pureza deles quando lhes deu essa lei:

"Porque eu sou o Senhor, vosso Deus; portanto, vós vos santificareis e sereis santos, porque eu sou santo. . . Eu sou o Senhor, que vos faço subir da terra do Egito, para que eu seja vosso Deus; portanto, vós sereis santos, porque eu sou santo" (Levítico 11.44-45).

Contudo, o povo que Deus havia selecionado excepcionalmente e resgatado não permaneceu santo. Os israelitas repetidamente exibiram seu pecado aos olhos de Deus. Ele às vezes avisou que poderia entrar no meio da congregação pecaminosa e destruir o povo (Êxodo 33.5; Números 16.44-45). Por quê? Simplesmente porque não pode haver comunhão entre a santidade de Deus e a impureza do homem. O homem tem que ser purificado, ou morrerá (veja Isaías 6.1-7).

Deus ainda quer um povo santo, e providenciou, através de Cristo, o meio de purificar os pecadores para servirem-No. Os cristãos são o povo santo de Deus (1Pedro 2.5,9). Aqueles que se dizem ser seguidores de Jesus deverão conduzir-se como um povo santificado e purificado da impureza do mundo.

A igreja em Corinto estava rodeada de imoralidade e falsa religião. Os cristãos eram freqüentemente tentados a voltar às más práticas do mundo. Paulo entendeu esta tentação quando lhes escreveu cartas de encorajamento. Consideremos seu ensinamento em 2Coríntios 6.14 – 7.1.

Paulo ensinou que o pecado não tem lugar na vida do cristão. Nos versículos 14 e 15 ele disse:

"Não vos ponhais em jugo desigual com os infiéis; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e Belial? Ou que união, do crente com o incrédulo?"

Encontramos nestes versículos uma lista de coisas que são totalmente opostas. Paulo não encoraja a nenhum tipo de compromisso. Ele não nos diz que um pouco de mal pode coexistir com a justiça. Em vez disso, mostra que não pode haver nenhuma tolerância do pecado na vida de um cristão. Os cristãos pecam (1João 1:8,10), mas temos que admitir esses erros e procurar o perdão de Deus para manter a comunhão com Ele (1João 1:9; 2:1).

Certas religiões e filosofias orientais ensinam que o bem tem que ser contrabalançado pelo mal e que cada bem é manchado por alguma quantidade de mal. Tais idéias contradizem frontalmente o ensinamento da Bíblia. Bem e mal são distintos e não podem existir em harmonia. Os discípulos de Cristo não podem comprometer-se com o erro.

Esta santificação é baseada em nossa relação com Deus. Paulo continuou nos versículos 16 a 18 a dizer que a base para esta santificação é nossa relação com Deus. Nestes versículos, ele usa a linguagem das passagens do Velho Testamento para mostrar que Deus ainda deseja um povo santo:

"Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuário do Deus vivente, como ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Por isso, retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor; não toqueis em cousas impuras; e eu vos receberei, serei vosso Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-poderoso."

O desejo básico de Deus permanece inalterado. Ele quer ter íntima comunhão com seu povo santo. Mas um Deus puro não pode ter amizade com pecado; portanto, temos que separar-nos do mal e da impureza. Mas, para que não vejamos isto como uma tarefa desagradável de renúncia, teremos que nos lembrar do grande privilégio que é descrito aqui, especialmente no versículo 18. O Deus Todo-poderoso do universo, nosso grande Criador e Redentor, quer ser nosso Pai.

Os cristãos têm imenso privilégio de serem chamados filhos e filhas do próprio Deus!
...

6 comentários:

Francivaldo Jacinto disse...

Parabéns pelo excelente texto.

São poucos que estão levando esse tipo de mensagem aos homens.
Raramente se ver pregações baseada em torno desse importantíssimo tema.
Muitos estão interessados em pregar outro evangelho.

Que Deus continue lhe dando sabedoria.

"Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor" (Hb.12.14)

Um forte abraço!

FJ

Dc DANIEL FILHO disse...

A PAZ DO SENHOR AMADO IRMÃO. SOU GRATO A DEUS POR CONHECÊ-LO E SABER QUE ESTAMOS JUNTOS EM UM SÓ PROPÓSITO, A PREGAÇÃO DO EVANGELHO DE CRISTO. AGRADEÇO PELA VISITA AO MEU BLOG. GOSTEI MUITO DE SUA POSTAGEM E CONTINUEMOS ASSIM. UM GRANDE ABRAÇO E FIQUE NA PAZ DE CRISTO.

james disse...

Graça e paz vos sejam multiplicadas, pelo conhecimento de Deus, e de Jesus nosso Senhor, irmão Francivaldo Jacinto!

Infelizmente é o que se sucede nos dias atuais através das pregações, dão-se ênfase à criatura, ao seu bem estar nesta vida terrena, porém, não há uma orientação espiritual com autoridade divina à vida vindoura, à salvação de almas...

Mas felizmente, é o cumprimento da Palavra de nosso Senhor Mestre e Salvador:

"Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos... Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados... Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas." (2Timóteo 3.1,13; 4.3,4).

Deus abençoe ao amado por sua rica visita ao nosso humilde blog.

Fraternalmente.
James.

james disse...

Graça a vós e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo, amado irmão Dc Daniel Filho!

Também mui alegre ficamos em poder conhecer novos irmãos da Família do Senhor, e, saber que realmente existem homens que, com suas vidas voltadas a Deus, recebem a exortação divina:

"Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina." (2Timóteo 4.2)

Deus abençoe ao amado e aos seus ricamente, e por sua visita ao nosso humilde blog.

Fraternalmente.
James.

Lucimauro Marques Ferreira. disse...

A paz do Senhor amado James.
Parabéns pela postagem, muito bem pautada pela bíblia.
Infelizmente não temos visto esse tema nos púlpitos hoje em dia.
Nos desculpe por nossa ausência aqui pois ainda estamos tendo que remir o nosso tempo quando estamos na net.
Fica na graça de nosso Senhor Jesus cristo.
Continue visitando o nosso blog.

james disse...

Graça a vós e paz da parte de Deus nosso Pai, e da do Senhor Jesus Cristo, amado irmão Lucimauro.

Realmente é o que temos presenciado, em geral, as pregações tem como pauta do dia a prosperidade e a exaltação, ficando a santificação em último plano, quando há tempo...

Deus abençoe e aos seus ricamente, e por sua amável visita ao nosso humilde blog.

Fraternalmente.
James.