Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 12.set.2017, Amós 2

Assim diz o SENHOR: Por três transgressões de Israel e por quatro, não retirarei o castigo, porque vendem o justo por dinheiro e o necessitado por um par de sapatos.
[Joel 3.3; 2Reis 18.12; Amós 5.11-12]
Suspirando pelo pó da terra sobre a cabeça dos pobres, eles pervertem o caminho dos mansos; e um homem e seu pai entram à mesma moça, para profanarem o Meu santo nome.
[Amós 5.12; Isaías 10.2; Ezequiel 22.11; Miqueias 2.2]
E se deitam junto a qualquer altar sobre roupas empenhadas e na casa de seus deuses bebem o vinho dos que tinham multado.
[Amós 6.6; Êxodo 22.26-27; Deuteronômio 24.12-17; Juízes 9.27; Isaías 57.7]
Não obstante EU ter destruído o amorreu diante deles, a altura do qual era como a altura dos cedros, e cuja força era como a dos carvalhos; mas destruí o seu fruto por cima e as suas raízes por baixo.
[Malaquias 4.1; Números 13.32-33; 21.23-25; Jó 18.16; Gênesis 15.16]

[676,340]

janeiro 02, 2011

Instituições ‘financeiras’ Religiosas (iniciemos novamente, pois que, nada mudou)

.
Por vezes, as Sagradas Escrituras nos dizem: “Vinde, peço-vos, e ouvi qual seja a palavra que procede do SENHOR”, mas, há um povo que se acha de Deus, que ainda resiste ao chamado para se fazerem limpos e regenerados, não se desprendem das mazelas materiais para “congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra”...

Desprezam, conhecendo o Amor Ágape, o Amor de Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo; e ainda insistem em permitirem na busca incessante dos ensinamentos de homens e mulheres religiosos, que vez por outra, dizem de bênçãos advindas dos céus na troca aos que despejam fortunas nas mãos de dirigentes de templos, que comumente chamam de “igreja” ou “instituições religiosas com nome de igreja”, se preferirem, denominações, ou ainda mais precisamente, igrejas evangélicas;

Alerta Ezequiel [33] sobre este povo que se acha de Deus, pois, assim se referiu a Israel por causa de sua presunção e serve de espelho para os dias de hoje, porque eles ensaiam vir a Deus, como o povo costumava vir, e se assentam diante de Deus, como Seu povo, e ouvem as Suas palavras, mas não as põem por obra; pois lisonjeiam com a sua boca, mas o seu coração segue a sua avareza...

... seus lideres (como gostam de ser chamados) pisam o pobre e dele exigem tributo, edificam casas de pedras lavradas, mas nelas não habitam; edificam vinhas desejáveis, mas não bebem do seu vinho. Ouçam isto, vós que anelais o abatimento do necessitado; e destruís os miseráveis da terra!!

As duras palavras contidas na expressão de Amós, mostram as mazelas de miseráveis, todos os que, pensam ter deixado as concupiscências da carne, e caem no caminho que leva as indulgências, e é isto o que estão fazendo, tornando a maioria das “instituições religiosas com nome de igreja” em “mercados financeiros”...

... usam da Palavra de Deus como “moeda de barganha”...

... usam o nome de Jesus como “assinatura de um cheque pré-datado” como que, quando se deposita dádivas em cofres religiosos, são prometidas promessas que não condizem com o ensinamento bíblico...

... muitos estão vivendo uma subcultura evangélica, e não se apóiam nas expressões ensinadas por Jesus, como quando diz: “Porque sempre tendes os pobres convosco, e podeis fazer-lhes bem, quando quiserdes; mas a mim nem sempre me tendes” [Marcos 14], parafraseando, Jesus quer dizer que temos a responsabilidade de olhar pelos pobres e necessitados por toda a nossa vida!!

Mas, louvemos ao Senhor que, abrindo-nos aos olhos, nos faz contemplar que Jesus veio ao mundo para nos trazer salvação, somente!! Aleluia!!!


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.
____________

Um comentário:

Georges disse...

Glória a Deus, que nos permitiu que "caísse a ficha" em nós. Isto é, caíram as escamas de nossos olhos e agora podemos enxergar melhor como funcionam as organizações religiosas. Glória a Deus que nos libertou de mais uma prisão. E que Ele possa ainda libertar a muitos, pois se há ua coisa de que não precisamos é ficar presos a tais cadeias.
Ligados a Cristo, e somente a Cristo, é que devemos viver.