Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 12.set.2017, Amós 2

Assim diz o SENHOR: Por três transgressões de Israel e por quatro, não retirarei o castigo, porque vendem o justo por dinheiro e o necessitado por um par de sapatos.
[Joel 3.3; 2Reis 18.12; Amós 5.11-12]
Suspirando pelo pó da terra sobre a cabeça dos pobres, eles pervertem o caminho dos mansos; e um homem e seu pai entram à mesma moça, para profanarem o Meu santo nome.
[Amós 5.12; Isaías 10.2; Ezequiel 22.11; Miqueias 2.2]
E se deitam junto a qualquer altar sobre roupas empenhadas e na casa de seus deuses bebem o vinho dos que tinham multado.
[Amós 6.6; Êxodo 22.26-27; Deuteronômio 24.12-17; Juízes 9.27; Isaías 57.7]
Não obstante EU ter destruído o amorreu diante deles, a altura do qual era como a altura dos cedros, e cuja força era como a dos carvalhos; mas destruí o seu fruto por cima e as suas raízes por baixo.
[Malaquias 4.1; Números 13.32-33; 21.23-25; Jó 18.16; Gênesis 15.16]

[676,340]

outubro 24, 2010

Entrevista: Novos Evangélicos

.
A jovem Juliana Marinho, cursando Psicologia, na Universidade Federal Fluminense, e fazendo uma disciplina que se chama “Psicologia dos Grupos” que, dentre outras coisas, tem a proposta de investigar a formação e o funcionamento de grupos. Dentro desta disciplina, está organizando um trabalho sobre grupos que fogem de algum padrão, que podem ser denominados contraconduta.

O seu grupo escolheu o tema "Novos Evangélicos" e pesquisando sobre o assunto (a revista Época é sua fonte) e buscando outros contatos também; fazendo pesquisas na internet, encontrou nossa modesta Comunidade (“Adoradores em Casas”), e para tanto, assim nos contactou:

A Revista Época do dia 07/08/2010, Edição 638, aborda o tema “Os Novos Evangélicos”. Ela os define como cristãos que buscam o retorno ao Evangelho puro e simples de Cristo, na contramão de boa parte da igreja evangélica brasileira, fascinada com movimentos heréticos como a teologia da prosperidade.

Eles enxergam o cristianismo como algo feito para viver na vida cotidiana e tentam despir os ensinamentos cristãos de todo aparato institucional. Segundo eles, grande parte da igreja protestante, mais precisamente os “neopentecostais”, se encontra cheia de dogmas, tradicionalismos, corrupção e misticismo. Eles se diferem enquanto buscam a essência da espiritualidade cristã, que acabou diluída ao longo dos anos, porque as formas e hierarquias passaram a ser usadas para manipular pessoas.

Com o propósito de se distinguir dessa instituição que a igreja virou, os novos evangélicos procuram voltar à essência da igreja que Jesus criou e ao mesmo tempo adaptá-la aos modos de vida modernos. Eles têm a proposta de estudar a bíblia, viver em comunhão, seguir os ensinamentos de Jesus, buscando extinguir as leis, moralismos e formalismos que os homens criaram dentro da igreja.


Com a providencial colaboração de nosso amado irmão Carvalho (www.cristoeaverdade.net), assim posicionamos:


1- Você se encaixa nessa definição?

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - Certamente, e todos que têm o desígnio de servir a Deus verdadeiramente tem que trazer consigo esse perfil, ao contrário estará fora do propósito de Deus para salvar o homem do pecado e da morte.

Entretanto se faz necessário esclarecer que esse jeito simples de servir a Deus, não é um atributo dos NOVOS EVANGÉLICOS, mas a verdadeira doutrina de Cristo para salvar a humanidade, porque desde o princípio os Apóstolos já congregavam assim, mas o homem criou a religiosidade e os seus paradigmas.

Entretanto este ministério, não é uma nova doutrina ou uma filosofia de vida, mas a essência da verdade do Senhor Jesus Cristo, a qual está sendo omissa, oculta e desvirtuadas por muitos pregadores;

E se parecemos diferentes das instituições religiosas que o homem trata por “igreja”, não há um objetivo para se destacar dos demais evangélicos, mas sim, em servir a Deus genuinamente, com pureza de Espírito e a simplicidade que o Evangelho de Cristo ensina aos amam a vinda do nosso Redentor.

Importante ainda, é salientar que, não somos um “movimento de rebeldes” como muitos dirigentes (ou proprietários) de “instituições religiosas como nome de igreja” nos qualificam em seus púlpitos, mas entendemos que a Igreja do novo milênio quer se parecer cada vez mais com a Igreja dos primeiros tempos; não se trata de uma volta atrás; tratam-se, isso sim, de se reviver as fontes; a Igreja retratada no livro dos Atos dos Apóstolos era totalmente dedicada a Palavra, ao Testemunho e a Missão.

Trazendo mais uma característica da Igreja primitiva (a Igreja nas casas), afirmamos que a Igreja do novo milênio é chamada a estar mais presente nas casas e ser Igreja da comunhão.

2- Por que você e seu grupo decidiram formar um novo grupo, que se difere da igreja evangélica tradicional?

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - Não estamos formando um novo grupo, mas, convidamos a todos a repensarem o modo pelo qual se unem em torno do Senhor Jesus, simplesmente, estamos tendo uma visão que também tiveram nos primórdios da Igreja que ao longo do tempo foi sendo cada vez mais distorcido pela igreja evangélica tradicional e seus dogmas;

Isto aconteceu que quando conhecemos o evangelho de Cristo, começamos a visitar várias congregações buscando encontrar o caminho da verdade que apreciávamos nas Sagradas Escrituras. Mas na maioria das vezes, ao invés de encontrar o conforto espiritual revelado na Palavra, encontrávamos pregadores anunciando uma doutrina paradoxal como o evangelho da prosperidade, as campanhas mirabolantes que visam somente bens materiais, e outras formalidades e rituais que não constam no evangelho de Cristo.

Isso nos deixou assustados, e chegamos a pensar que estávamos só, e que éramos nós inconvenientes as doutrinas. Começamos então a pedir incessantemente ao Senhor que nos mostrasse o Caminho da Verdade, e Ele mostrou, apontou para o Seu Amado Filho Cristo Jesus, o qual deu o Seu sangue em sacrifício vivo para libertar o homem que estava morto na maldição do pecado.

Desde então passamos a entender que para servir a Deus verdadeiramente, não se faz necessário se confinar nas edificações feitas por mãos de homens. Começamos a nos reunir nas casas e Deus operou. Hoje, a nossa congregação não tem placa, razão social, nome fantasia, código de barra e nem conta bancária.

E o Espírito Santo de Deus tem feito obras maravilhosas no meio de um pequeno rebanho, onde ninguém precisa pagar nada, porque Cristo já pagou o mais alto preço pela nossa salvação com o Seu próprio sangue.

3- Qual a diferença central entre a prática de vocês e os evangélicos tradicionais?

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - A diferença se caracteriza quando o verdadeiro obreiro de Cristo busca imitá-lo em Sua perfeição, procura ganhar o pão no suor do seu rosto, e a sua obra é voltada para libertar o homem do pecado. Anunciar o evangelho sem nada receber, não aceitar recompensa material, e o único interesse é pregar o arrependimento, a conversão e a salvação através da aspersão do sangue de Cristo.

Quanto aos obreiros das igrejas denominacionais, são profissionais e as suas obras dispensam comentário.

4- Você acha que a partir desses encontros o grupo consegue produzir algo para si? E a para a sociedade? Explique.

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - Sem sombra de dúvida, por que a reunião nas casas dos irmãos “em nome do Senhor Jesus” é primeiramente pura, nenhum servo ambiciona ministério, não há visão para lucrar materialmente, porque todos são iguais. Existe amor no seio da igreja, que é o Corpo de Cristo, e a interação vem pela comunhão entre os irmãos pela unidade da fé.

Os Apóstolos de Cristo congregavam e anunciavam a obra exatamente assim, e se alguns as fazem diferentes, estão em confronto com a doutrina dos homens santos de Deus.

Socialmente, como somos grupos pequenos (ou Igrejas Locais, Igrejas nas casas) nossas ações passam por despercebidas como num todo, porém, são ações que, auxiliam as pessoas no contato direto, na ajuda em amparo espiritual e muitas das vezes material;

5- O que o grupo almeja? (qual a proposta dos encontros?)

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - O propósito do encontro primeiramente é a comunhão entre os irmãos em Cristo, e considerando que o Senhor Jesus nos designou de forma imperativa pelo “IDE” [Marcos 16.15], a ordenança para anunciar o evangelho não é somente para a liderança da igreja ou aos missionários especificamente treinados, mas para todos que receberam a oferta da salvação.

Este é o objetivo do grupo, apregoar o amor de Deus para salvar o homem do pecado e da morte, pelo sacrifício e aspersão do sangue de Cristo e a magnífica obra redentora da Cruz; propomos uma vida desvinculada das coisas materiais, nossa preocupação é como de qualquer outro ser humano (alimento, moradia, trabalho, etc), porém, não como nossas prioridades, pois, primamos por uma vida espiritual.

6- Existe alguma dificuldade em lidar com o grupo? Qual?

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - Não há dificuldade alguma, ao contrário é gratificante compartilhar com os irmãos o infinito amor de Deus, porque o verdadeiro servo de Deus é humilde, vive em paz com todos, e o Senhor os trata por “ovelhas”;

Por ser pequenos grupos, e em geral, nos lares, estamos reunidos com nossos familiares e nossos irmãos, vizinhos, e alguns que realmente querem uma reunião (culto) sem barulho, músicas, sem uma figura central, deixando os moldes religiosos de séculos, para voltarmos a razão de se crer e adorar a Deus sem intermediários;

A propósito, a ovelha é um animal dócil, inócuo, inofensivo, na ovelha não há o instinto da auto defesa. Por isso o Senhor Jesus recomenda que, se alguém bater num lado da face, deve-se oferecer também a outra. E o crente deve guardar os ensinamentos do Senhor, ao contrário não é ovelha de Cristo e não herdará o Reino de Deus, porque Jesus virá buscar as suas ovelhas.

7- O fato de vocês estarem se reunindo em um grupo que se diferencia de outro grupo específico, causa algum estranhamento nas pessoas? Que tipo de problemas isso traz?

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - Sim, causa estranheza às pessoas, pois, sempre que conhecemos um irmão ou somos identificados como crentes, a primeira pergunta é, em que igreja o irmão congrega? E ao responderemos que congregamos nas casas dos irmãos, e também como Jesus ensinou, ou seja, onde estiverem dois ou três reunidos em seu nome Ele se fará presente, as pessoas são tomadas de surpresa, porque os ensinamentos que recebemos desde os nossos pais é que, para adorar e servir a Deus tem que ir a igreja (estrutura material), mas a Palavra afirma que o Deus Altíssimo não habita em templos feitos por mãos humanas, porque o Céu é o seu Trono e a terra o estrado dos seus pés.

E isso ocorre porque o povo não consegue ver a Igreja de Cristo sem prédio, porque sem a estrutura física e sem a figura do "pastor”, as ovelhas sentem-se perdidas; o que é lamentável, porque no tempo da graça do Senhor Jesus, nós somos o templo do Espírito Santo, e todos juntos formamos o Corpo de Cristo, que é a Sua Igreja, sendo Ele próprio a cabeça da Igreja.

Temos sido qualificados por “rebeldes” por não aceitarmos a “autoridade espiritual” que os pastores se atribuem, pois, estes querem que todos os segmentos sejam sujeitos a eles, porque isto??

Por que a maioria de nós, somos oriundos das “igrejas evangélicas”, e não saímos do meio (continuamos visitando os templos, mantendo blogs, participamos de comunidades virtuais), mas permanecemos na divulgação de que a Igreja de Cristo como um todo é a reunião de todos aqueles que amam e professam o nome do Cordeiro sobre a face da terra; independente de rótulos, de denominações, de doutrinas, de dogmas...

8- Quais são os aspectos positivos e os negativos dessa reunião?

Jesus, o maior Amor/"Adoradores em Casas" - O lado positivo nesse sistema simples e humilde de servir a Deus, é a Verdade que evidenciamos em conformidade com a Palavra do Novo Testamento, onde todos os irmãos são iguais, não há comércio da Palavra de Deus, somente o Senhor Jesus Cristo é o Sumo Pastor, e todos os atos da igreja são direcionados pelo Espírito Santo. Não há falsidade, os irmãos são compromissados com a Verdade, e o amor fraternal envolve a congregação.

Mas o que há de mais gratificante em tudo isso, é a certeza que servimos a um Deus vivo que amou o homem mesmo estando esse morto na maldição do pecado, e enviou o Seu único Filho a morrer em sacrifício vivo, para que todo aquele que nEle crê, não pereça, mas tenha a vida eterna.

Aspecto negativo não há, visto que, quando guardamos os mandamentos do Senhor e andando na Verdade, não haverá reprovação. E ao lado do Senhor Jesus no barco, é impossível que venha a ocorrer naufrágio;

Não precisamos ter uma vida espiritual sujeita a homens como é imposta nas igrejas evangélicas; inclusive, temos liberdade de gerenciar nossas dádivas (ofertas e dízimos), não fomos chamados para enriquecer a homens, mas para o auxílio aos pobres e necessitados, ainda que nosso trabalho não seja visto, mas, temos plena convicção que, nossos recursos chegam a quem realmente precisa.


Deus seja louvado e o Seu Amado Filho Glorificado.


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.
.
_____________

Um comentário:

HD disse...

Olá irmão James,
A Paz do Senhor,

Encontrei seu blog, já sou seguidora.

Vou ler as matérias e postagens.
Gostei muito!!!

Deus abençoe,

Qdo puder venha nos visitar,
http://herdeirosdedeushd.blogspot.com/

em Jesus
Suely