Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 14.abr.2017, Jeremias 18

Então veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:
Não poderei EU fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o SENHOR. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na Minha mão, ó casa de Israel.
[Isaías 64.8; 45.9; Mateus 20.15; Jeremias 18.4; Daniel 4.23]
No momento em que falar contra uma nação, e contra um reino para arrancar, e para derrubar, e para destruir,
[Jeremias 1.10; 12.14-17; 25.9-14; 45.4; Amós 9.8]
se a tal nação, porém, contra a qual falar se converter da sua maldade, também EU ME arrependerei do mal que pensava fazer-lhe.
[Jeremias 26.3,13; Ezequiel 18.21; Juízes 2.18]

[628,570]

fevereiro 08, 2009

Olhando para a igreja organizada!

...



by Dan Beaty*

Nos últimos sete anos, desde que minha esposa e eu somos partes de uma igreja domiciliar, uma questão persiste: como vemos as igrejas denominacionais e organizadas e as pessoas que as freqüentam? Tenho que admitir que meus sentimentos iniciais foram de desagrado e de aversão. Afinal de contas, não foram alguns erros, excessos, formas anti-bíblicas e práticas do sistema de igrejas organizadas que nos levaram a descobrir a liberdade e a grande eficácia das igrejas domiciliares?

Nossa experiência foi que, depois de havermos devotado cerca de duas décadas a serviço do sistema das igrejas tradicionais, nós começamos a perceber suas falhas em muitos aspectos. Partindo daí, Deus começou a nos mostrar quantas das coisas que havíamos lido no livro de Atos, como sendo normal na vida da igreja, simplesmente não são encontradas lá. Vimos também quão abertos eram os cultos no Novo Testamento, em comparação aos típicos cultos das igrejas de hoje. Vimos ainda como os líderes deveriam servir, mais do que serem servidos e adulados. Além disso, comparamos o atual cuidado com os edifícios especiais, com a consideração dedicada aos prédios no primeiro século, quando eles não mereciam nenhuma atenção.

É óbvio que uma igreja, só pelo fato de ser domiciliar, não conserta tudo automaticamente. Eu vejo isso como um passo na direção correta, relativa à perfeita vontade de Deus para o Seu povo. Porém, se não formos cuidadosos, outro passo, esse perigoso, pode ser dado inadvertidamente na direção errada, levando-nos para longe do coração e da mente de Deus!

"Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei a vós, que também vós vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros" (João 13:34-35).

Em nosso zelo por essa contínua reforma, devemos jamais esquecer essas palavras de nosso Senhor. Poderemos nos ver criticados por "não irmos à igreja", por não havermos reconhecido aos líderes ou à sua "cobertura" ou simplesmente por sermos diferentes – fora da corrente. Mas, Sua palavra e Sua vontade são claras. O Amor deve ser preponderante. Devemos amar uns aos outros. Devemos orar pelos que nos criticam e resistir à tentação de retaliar.

"Devemos orar pelos que nos criticam e resistir à tentação de retaliar."

Podemos e desejamos "falar a verdade em amor". Nós podemos nos firmar no Novo Concerto e na verdadeira experiência da igreja. Podemos nos tornar Seus servos e demonstrar a vida da igreja do Novo Testamento. Esse testemunho sozinho pode difundir luz sobre os erros da moderna cristandade. Mas, por outro lado, precisamos manter um firme espírito concernente a todo o povo de Deus e ao Seu trabalho em outros cenários.

Sim, estou escrevendo isso: Deus está trabalhando na igreja institucional. Ele está salvando pessoas, ensinando-as, construindo Seu corpo através de Seus santos em congregações em todas as partes! Pessoas estão aprendendo sobre seus dons, sobre o caráter de Deus e sobre Sua Palavra. Todas essas coisas, porém, ocorrem em escala muito menor do que julgamos ideal!

Ao mesmo tempo, satã poderá estar contente em manter a igreja domiciliar atarefada com a descoberta de falhas. Não devemos ficar procurando, para serem expostos, os problemas da igreja institucional. Venho observando, há muito tempo, que, quando o espírito crítico cresce, o crescimento cessa. A atenção deixa de ser voltada para Cristo e passa a ser com a nossa competição!

Uma coisa que vejo como extremamente adjutória é a posse de uma atitude voltada ao Reino de Deus. Observarmos a plenitude e extensão do reino de Cristo é uma coisa inspiradora e encorajadora! Participar de seu desenvolvimento é coisa ainda maior! Por fim, um elemento chave na oração que dirigimos ao Senhor Jesus, são os rogos para que Seu Reino venha e para que Sua vontade seja feita na terra, como é feita no céu!

Hoje, estamos procurando conhecer nossa parte no Plano de Jesus, para somar nossos esforços a ele. Devemos nos preocupar com os planos do Senhor para nós e deixar que Ele desenvolva Seus propósitos para outras pessoas e denominações. Certamente não estamos, com isso, endossando coisas que, nós sabemos, desagradam ao Senhor. Nós falaremos contra isso, à medida que Ele nos der oportunidade. Mas, continuemos a procurar primeiro o reino de Deus e sua justiça!

Sejamos amorosos com os irmãos e com a edificação do corpo de Cristo, a igreja. Estejamos sintonizados com o coração do Pai e vivamos de acordo com ele! Rejeitemos, a todo custo, o espírito que tenta semear discórdia entre irmãos e irmãs, inclusive quando ela esteja disfarçada como "revelação profética"!

Prestemos atenção à Sua voz nos dizendo para manter a unidade do Espírito como a amálgama da paz, pois "Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos" (Efésios 4:4-6).

O dia está chegando - e terá realmente chegado - quando a comunhão entre todos os Seus amados for tão rica, forte e gloriosa quanto antes. Nosso Senhor Jesus Cristo, o Cabeça de Sua gloriosa igreja, está oferecendo isso. Essa é a comunhão que Ele obteve para nós, por Seu precioso sangue. Estaremos hoje nos opondo ao Seu trabalho ou estaremos voltados para Ele, desejando que Ele Se revele para sua igreja (e através dela), nos tempos que se seguem? Que a segunda hipótese seja a real, para todos nós!

Amém!

Tradução de Otto Amaral

(*) Dan Beaty e sua esposa Brenda nasceram e residem em Columbus, Ohio, Estados Unidos, onde também cresceram seus três filhos, que estão hoje casados e lhes deram sete netos. De 1978 a 1994, Dan atuou como ancião/mestre e Brenda como professora da escola dominical, além de que ambos fizeram parte do ministério de música da House of Prayer, em sua cidade. Por muitos anos, eles escreveram e distribuíram literatura evangélica através do boletim "Living Truth" e, mais recentemente pela Internet, em www.livingtruth.com. O livreto de Dan, "The Church, Triumphant in Christ", foi distribuídos em todos os continentes e circulou amplamente nos Estados Unidos. Desde 1995 eles estão entusiasticamente envolvidos com as igrejas domiciliares e descobriram na Internet uma ferramenta ideal para fazer e manter contato com outras igrejas domiciliares. Seu negócio familiar de pinturas e seu emprego de tempo parcial em fotografia têm permitido a Dan programar sua vida em torno dos interesses do Reino de Deus. Suas viagens o têm levado a vários Estados de seu país e a lugares mais distantes como Canadá e Austrália. Em 2000 e 2001 ele viajou à Índia para trabalhar com algumas das igrejas domiciliares dali e contribuir para o crescimento dos santos em muitas pequenas conferências em províncias do norte e do sul daquele país. Esses esforços são no sentido de ver cada santo se tornando participante da construção do Corpo de Cristo, a Igreja (Efésios 4:11-16).

via 7 Candelabros de Ouro
...

4 comentários:

Perroni disse...

O presbitéro têm toda razão. Eu mesmo tenho condenado as igrejas que se transformaram em "negócios" em nome de Jesus, e nos esquecemos que Deus faz seu trabalho ao longo dos tempos, nos mostrando os erros que cometemos. Parabéns pelo artigo. A partir de hoje estarei orando por todos eles.Que a vontade de Deus seja feita. Na paz do Senhor Jesus. Amém.
Anselmo Perroni.

Matias Borba disse...

Nobre irmão James,
Paz!

Infelizmente hoje em dia muitas igrejas, (se não a maior parte) tem desenvolvido suas atividades como um negócio lucrativo, penssa-se em adiquirir templos luxuosos, ter muito dinheiro em caixa etc., porém, esses lideris não se lembram que a mensagem é simples, CUIDAR DOS POBERS, SOCORRE AS VIÚVAS E ORFÃOS, AJUDAR O PROXIMO E NÃO CONSTRUIR TEMPLOS!
Tg.1. 27

james disse...

.

Graça e paz vos sejam multiplicadas, irmão Anselmo Perroni.

Realmente, muito se tem desviado dos propósitos de Deus para a igreja visível, muito se preocupa com o material, com o enriquecimento, com o status, com a fama...

A barganha dizimista...

O JESUS, marca de sucesso de vendas gospel...

Tudo para a degradação espiritual, de um povo e seus “líderes”...

Mas, me uno ao amado em vossas orações, para que o Senhor tenha misericórdia de nós, pecadores. Amém!

Deus o abençoe e aos seus ricamente, e por sua nobre visita ao nosso humilde blog.

Fraternalmente.

James, presbítero.
...
..
.

james disse...

.

Graça e paz vos sejam multiplicadas, irmão Matias Borba.

Com certeza, a negociata evangélica vai além dos limites, as igrejas hoje, são na verdade, instituições com CNPJ, em detrimento ao espiritual, há uma lógica eclesiástica, em que o essencial é o lucro financeiro...

Deixaram por definitivo a religião pura e imaculada.

Deus o abençoe e aos seus ricamente, e por sua rica visita ao nosso humilde espaço.

Fraternalmente.

James, presbítero.
...
..
.