julho 02, 2010

Primeiro amor ou entusiasmo

.
Temos ouvido falar em o “primeiro amor"... e o que é??

Seria quando entramos em uma igreja, local com nome religioso, e diante um homem engravatado com nome de “pastor” que nos ajoelhamos, o momento de nosso “primeiro amor"??

Não, não, e não!!

Ora, em verdade, quando pela primeira vez, meditamos e damos lugar ao Espírito Santo para que Ele nos convença de nosso pecado e do mau caminho que percorremos, passamos a “dar uma oportunidade” a Deus a nos mostrar a verdadeira realidade do Amor que o SENHOR nos tem preparado desde a fundação do mundo...

... Ah!...

... Eis o momento do “primeiro amor"... aquele pelo qual permitimos a Deus que entre em nossa vida!!!

Infelizmente, o entusiasmo tem tomado lugar nos corações, e as palavras melindrosas de mercenários religiosos tem achado guarida nestes corações sedentos do “Amor de Deus”, almas vazias que se enchem com pregações fraudulentas como a “teologia da prosperidade”, homens que ensinam a que outros sejam caçadores de Deus rejeitando a “graça”, que ensinam que se deve perdoar a Deus, amaldiçoando aos que não dizimam e ofertam para seus ministérios e patéticos programas...

O primeiro amor não se firma nas patéticas danças proféticas, e jamais será aceito num patético ato profético...

O primeiro amor não chora de quatro como cantora gospel, mas, se prostra diante de Deus!!

O primeiro amor adora a Deus em espírito e em verdade, louvando e salmodiando no coração, como “servo" e não como um cantor(a) “levita”!!

O primeiro amor firma-se em nos “converter" de nossos caminhos errados, nosso pecado, e não em somente “convencer" de que somos pecadores!!

Mas, Jesus nos adverte:

Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor” [Apocalipse 2].


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.

.
_____________

Um comentário:

Allan Ribeiro disse...

Bravo!

Endosso cada palavra. Ainda acrescentaria outra contra os "mini-pastores", esses que não estão na televisão e nem têm (digo "têm" intencionalmente, hehe...) uma "igreja" gigantesca, mas tratam o seu rebanho com o mesmo desdém pela Palavra. Uma gente exploradora da fé e da ingenuidade alheias, que atribuem ao Espírito (veja só!) seus truques baratos de mágica e hipnose, jogando dezenas ao chão com um tal "poder", fazendo aparecer dentes de ouro na boca dos otários e "curando" enfermidades que não existem ou que não vão deixar de existir.

Ou por outra, uma gente que se seduz pelos livros mais vendidos, com receitas de como organizar uma empresa... opa, quis dizer "igreja", produtiva e eficiente. Uma igreja incapaz de pregar o evangelho, essa coisa obsoleta em nossos dias, mas que lota prédios para entrar em transe cantando as músicas da moda ou repetindo palavras sem sentido (que eles teimam em chamar de dom de línguas) e se satisfazer com a alegria de estar apoiando a loucura uns dos outros, como se isso fizesse a coisa ser menos louca.

"Mas vós, amados, edificando-vos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo, conservai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna."
Judas 1.20,21