Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 22.mai.2017, Amós 3

Certamente o SENHOR JEOVÁ não fará coisa alguma, sem ter revelado o Seu segredo aos Seus servos, os profetas.
[Gênesis 6.13; 18.17; João 15.15; 1Reis 22.19-23; 2Reis 3.17-20]
Bramiu o leão, quem não temerá? Falou o SENHOR JEOVÁ, quem não profetizará?
[Jeremias 20.9; Atos 4.20; Amós 1.2; Jó 32.18-19]

[653,745]


junho 25, 2014


O evangelho conduz almas a CRISTO;
quem enriquece pelo evangelho é mercenário.

[388,804]

Contexto bíblico 1Coríntios 10:

"Como também eu em tudo agrado a todos, não buscando o meu próprio proveito, mas o de muitos, para que assim se possam salvar."


O conjunto das circunstâncias à volta da situação dos reais discípulos de CRISTO, é que estes não buscam o próprio proveito, mas o lucro de muitos; em combinação com o desejo de fazer tudo para glória de DEUS, este princípio, com seu critério de comportamento.

É, de fato, o princípio do amor dos crentes, que não buscam seus próprios anseios, mesmo que, quanto depender deles, por favor, a todos.

A igreja primitiva nos é aio para a conduta entre irmãos, vez que, pelo relato bíblico de Atos dos Apóstolos, era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns; não havia, pois, entre eles necessitado algum; para quem eram possuidores de terras e casas vendiam, e mesmo não que houvesse qualquer comando especial para isso, mas havia muita graça e muito amor, de que esta era a maneira natural entre irmãos, traziam todo que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos; e repartia-se a cada um, segundo a necessidade que cada um tinha.

Entretanto, não é o que se vive na igreja instituição (instituições religiosas apelidadas de 'igrejas'), da qual, o que se entrega às mãos (aos pés) das lideranças eclesiásticas é com fins "lucrativos", visto que, o que esperam, pelos ensinamentos religiosos da lei da semeadura, é que, os membros quando ofertam ou dizimam, as estes, chuvas de bênçãos. Puro engano, crendice, dogma, sofisma, ou, argumento capcioso com que se pretende enganar.

Ora, sabemos que Abraão, Jacó, Jó, Salomão, e tantos outros foram prósperos financeiramente, contudo, não se firmaram em suas riquezas, antes, ansiavam pelo CRIADOR.

A prosperidade material não é em nada a nos impedir de servir a DEUS, porém, os evangélicos tem se firmado dia a pós dia, na busca desenfreada desta prosperidade, da solução de problemas terrenos, amam a olhos vistos a se firmarem financeiramente em detrimento mesmo que cause prejuízo ou desvantagem a outrem, e, certamente há indícios de favorecimento de um em detrimento dos outros; sendo em função desta maneira de viver que lotam os galpões, salões, templos religiosos apelidados de 'igrejas' criados e fundados por homens que usam deste artificio ambicioso para enriquecerem;

Se há alguma coisa ainda a ser dita, desnecessário o é, afinal, a igreja instituição, todas nos são por testemunho; e suas lideranças eclesiásticas se enganam enganando, afinal, não ficará pedra sobre pedra que não seja derrubada, porque para a quantidade muitos estão sendo chamados, mas pela qualidade poucos serão os escolhidos!!


Porque dELE e por ELE, e para ELE, são todas as coisas; glória pois, a DEUS eternamente;
Nos interesses da Igreja que CRISTO edificou. Amém.


4 comentários:

Presbítero Santos disse...

A mais pura realidade das religiões.
Em verdade, D'us está nos céus dando dons aos homens para a vida espiritual querendo o aperfeiçoamento dos santos, para edificação do corpo (Igreja) de Cristo.
Nada além disto.
pb Santos.

o crente disse...

Os mercenários são vitrines de sucesso religioso, são os procurados pelas multidões que vão às "igrejas" buscarem o que eles apregoam, um suposto sucesso e riqueza que somente eles ostentam.

Crentes em Jesus disse...

Há mais mercenários nas igrejas do que os escolhidos de DEUS.

Adoradores em Casas disse...

Os motivos aqui expostos são plausíveis das razões pelas quais buscamos uma vida fidedigna aos irmãos da Igreja primitiva.