Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 21.jun.2017, Hebreus 4

Visto que temos um grande Sumo Sacerdote, JESUS, FILHO de DEUS, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão.
[Hebreus 6.20; 1.2-3; 8.1; 9.24; 10.12]
Porque não temos um Sumo Sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém Um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.
[2Coríntios 5.21; João 8.46; Hebreus 7.26; 2.17-18]
Cheguemos pois com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.
[Efésios 3.12; Filipenses 4.6-7; Êxodo 25.17-22; Levítico 16.2; 1Crônicas 28.11]

[659,985]

setembro 18, 2009

Preso é liberado em BH - Esta é a "lei do homem" que permite abertura de igrejas

.
"Falta de defensores pode obrigar a Justiça Mineira a liberar outros presos no Estado.

Um preso acusado de furto qualificado foi solto, nesta sexta-feira, no Fórum Lafayette, em Belo Horizonte, por falta de um defensor público. Sem um advogado de defesa, o juiz não pôde abrir a primeira audiência. A falta de defensores pode obrigar a Justiça Mineira a liberar outros presos.

A primeira audiência de Cristiano Gama estava marcada para as 13h. O marceneiro, preso no Ceresp da Gameleira, é acusado de assalto a mão armada a uma oficina mecânica. Mas, duas horas depois, a sessão foi suspensa pelo juiz Milton Salles.

O juiz Milton Salles alegou o uso da lei para justificar a decisão. O Código de Processo Penal determina que, quando o réu está preso, a primeira audiência no Fórum tem que ser realizada em no máximo 60 dias. Mas o acusado já estava na cadeia há 71 dias. Segundo o juiz, a próxima audiência só poderia ser marcada para daqui um mês.
" (Fonte: Globominas)

É um absurdo a falta de gerência do Estado. A lei do homem com suas falhas e brechas...

É esta mesma lei que permite a abertura da proliferação de casas religiosas, como igrejas evangélicas, onde não há exigência, não existe alvarás, não há dispositivo algum que faça incumbência de fiscalizar certos atos ou executar certas disposições.

O sujeito paga um curseto de teologia, ganha um diploma e uma carteirinha, e pronto! Virou pastor!

Faz uma "assembléia" fantasma, somente para ter ata, colhe uma lista de presença com meia dúzia de nomes, cria um estatuto de igreja evangélica que somente ele é o senhor supremo, registra num Cartório de Registros, dá entrada no Ministério da Fazenda, ganha uma CNPJ, e, novamente, pronto! Criou e fundou a sua igreja evangélica.

Então, este sujeito com diploma e carteirinha de curseto de teologia, virou um "líder".

Depois de muitos "pronto!", este líder divulga seu "ministério", fala um monte de abobrinhas, distorce a Palavra de Deus, seus seguidores o chamam de "homem de deus", arranja uns cantores, e sua igreja evangélica, como a maioria que presenciamos em nosso País, cresce assustadoramente, incha, enriquece, manipula a fé alheia...
... caem telhados...
... donos de igreja são presos...
... desviam ofertas...
... é um assalto sem mão armada...

... e o Estado com sua lei?? Nada faz!!!

.
.

3 comentários:

FÁBIO HENRIQUE disse...

Graça e paz, irmão James.

"Lei do homem", amena para alguns e mais severa para com outros. Enquanto, há presos que são soltos por causa da falta do julgamento outros continuam trancafiados passando do tempo da pena caso já tivessem sido julgados e condenados. Essa é a justiça do homem! Mas de quem é a culpa? Ora, o poder emana do povo e é o povo quem dar a sentença. Ele espanca, é espancado, por isso tanta violência. Aos crimes praticados pelos principais criminosos, que são os corruptos do governo, não se vê protesto. Mas quando a mídia fala, é o povo enganado; o povo clama, exige que os criminosos menores sejam punidos, pede mudanças na lei, que a maioridade penal diminua, que a punição seja mais dura. E os criminosos que governam o povo continuam em liberdade, num sistema que criaram com seus subterfúgios, tantos meios de se livrarem da ilicitude, jogam a culpa de um lado para o outro numa batata quente que nunca queima. E o povo se cala.

A causa de tudo isso é a falta de conhecimento. O povo não conhece a lei de Deus, o Amor.
Mas não é de admirar porque nem ao menos aqueles que deveriam refletir luz, que dizem ser povo de Deus, exigem transparência daqueles que os governam em suas denominações.

Essa é a minha opnião. A raiz de muitos problemas são sociais e vem do governo. O governo mata e mutila e deixa muitas sequelas, tudo com o consentimento da sociedade. Somente na área da saúde; tanto na demora do atendimento, como pela falta de atendimento; quantos não são mortos?
Não há segurança pública de qualidade com um efetivo de agentes da segurança muito reduzido. Mas o próposito é esse, mostrar cada vez mais a violência, violência que o próprio governo cria e alimenta e quem sofre somos todos nós. Não quero deixar a impressão que se deve ter dó de alguém ou que há algum coitadinho, não! Cada um deve responder por seus atos, seja qual for o crime que cometer, um erro nunca justificará outro. Muitos que estão atrás das grades não sabem nem ao menos assinar o próprio nome. A sociedade sugeri alterações nas leis mas esquece daqueles que fazem e aprovam essas leis. "O amor nos ensina que sempre temos que nos colocar no lugar do outro, por isso sou totalmente contra a pena de morte pois não há quem recuse o perdão, mas para esses que são capazes de até desviar o dinheiro da merenda das crianças, qual seria a punição?" Essa é a educação que o governo ensina e o exemplo que tem a oferecer.

Marcelo Hagah disse...

Homem, o que tem a ver a notícia do preso com a abertura de igrejas?
Você acredita mesmo que o Estado conseguirá ser justo nos critérios de abrir igreja? Ora bolas, homem! Que haja liberdade religiosa, total liberdade. Não importa se o cara não cursou teologia nos melhores seminários, etc, etc... deixa ele lá. O caso dos tetos caindo é que precisam ser vistos pelas autoridades, os responsáveis punidos... o caso do excesso de barulho também tem que ser visto. Uma lei sobre uso do som tem que ser respeitada por todos, não só igrejas evangélicas, mas por indivíduos nos seus carros, em suas casas, bares, etc.

Quanto ao dízimo pago aos pastores, qual é o problema? É o emprego dele. Ele presta um serviço e é pago por esse serviço, nada mais justo.

Você tá muito rançoso, muito chato! Elitista. Careta!

Mas eu gosto de você. Gosto de lê-lo e sou seu seguidor. Acho que vou te dar bronca vez ou outra. Espero que faça o mesmo com meus textos no meu blog, quando me visitar de novo.

Graça e paz.

james disse...

.

Graça e paz de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.


Marcelo Hagah,


O caso do preso em epígrafe vem de encontro ao descaso quanto aos critérios para se abrir porticas que chamam de igrejas, sobre as megas igrejas fachadas de lucro sem escrúpulo a fé alheia.

A ingerência do Estado brasileiro é de assustar, por isso, a liberdade religiosa chega ao patamar que está...

Mas, liberdade religiosa não pode ser confundida com liberdade que usurpa!!

Você afirma que o Estado precisa fiscalizar os tetos caindo, os barulhos?? Pois é!! E como fica a liberdade religiosa, se ela existe como você diz, não há como existir fiscalização!!! A baderna religiosa é generalizada...

... principalmente, quando os Hernandes, Crivela & Cia Religiosa, oram pela saúde da candidata a presidência da República em 2010 pelo PT!! Pode acontecer de tudo dentro das igrejas evangélicas templos de tijolos, e, blá, blá, blá, ...

Quanto ao emprego do seu pastor, veja a SÚMULA Nº 126 DO Tribunal Superior do Trabalho:

O vínculo que une o pastor a sua igreja é de natureza religiosa e vocacional, relacionado a resposta a uma chamada interior e não ao intuito de percepção de remuneração terrena. A subordinação existente é de índole eclesiástica, e não empregatícia, e a retribuição percebida diz respeito exclusivamente ao necessário para a manutenção do religioso. Apenas no caso de desvirtuamento da própria instituição religiosa, buscando lucrar com a palavra de Deus, é que se poderia enquadrar a igreja evangélica como empresa e o pastor como empregado. No entanto, somente mediante o reexame da prova poder-se-ia concluir nesse sentido, o que não se admite em recurso de revista, a teor da Súmula no 126 do TST, pois as premissas fáticas assentadas pelo TRT foram de que o Reclamante ingressou na Reclamada apenas visando a ganhar almas para Deus e não se discutiu a natureza espiritual ou mercantil da Reclamada. Agravo desprovido. (TST - AIRR 3652 - 4a T. - Rel. Min. Ives Gandra Martins Filho - DJU 09.05.2003)

Que coisa maravilhosa!! Para a Justiça do Trabalho (lembre-se que devemos ser submissos as autoridades conforme Romanos 13 e 1Pedro 2), os verdadeiros pastores têm uma chamada interior e não usufruem de salários, e, se as igrejas evangélicas visam lucrar com a Palavra de Deus viram empresas. Glória a Deus!! A verdade sobre o evangelho de Jesus Cristo sempre há de prevalecer!!!!!!!!!

Sem mais comentários!!

Fico imensamente feliz que sejas mais um de nossos seguidores. Esperamos sua constante presença em nosso modesto espaço para que, num amável diálogo, tiremos todas as dúvidas e contratempos com relação a Palavra de Deus. Deus seja louvado!!

Deus o abençoe e aos seus ricamente, e por sua nobre visita ao nosso humilde blog.



Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.


Fraternalmente,


irmão James.
Jesus, o maior Amor
Comunidade "Adoradores em Casas"
Comunidade "Blogueiros Cristãos"

...
..
.