Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 28.mai.2017, Amós 2

Assim diz o SENHOR: Por três transgressões de Judá e por quatro, não retirarei o castigo, porque rejeitaram a lei do SENHOR e não guardaram os seus estatutos; antes, se deixaram enganar por suas próprias mentiras, após as quais andaram seus pais.
[Ezequiel 20.24,13,16; 2Reis 17.19; Isaías 28.15]
Por isso, porei fogo a Judá, e ele consumirá os palácios de Jerusalém.
[Jeremias 17.27; Oseias 8.14]
Assim diz o SENHOR: Por três transgressões de Israel e por quatro, não retirarei o castigo, porque vendem o justo por dinheiro e o necessitado por um par de sapatos.
[Joel 3.3; 2Reis 18.12; Amós 5.11-12]
Suspirando pelo pó da terra sobre a cabeça dos pobres, eles pervertem o caminho dos mansos; e um homem e seu pai entram à mesma moça, para profanarem o meu santo nome.
[Amós 5.12; Isaías 10.2; Ezequiel 22.11; Miqueias 2.2]

[655,000]

maio 05, 2014


Pastores, de púlpitos. Generalizo??!!

[384,245]

Quando se expressa sobre as lideranças eclesiásticas, atesta-se que, há um comportamento generalizado comum à igreja instituição, ou seja, aos pastores, de púlpito.

E por que se afirmar que é um comportamento comum, generalizado??

Em primeiro, a igreja instituição é toda e qualquer instituição religiosa apelidada de 'igreja'.

É uma organização religiosa, elaborada, criada e fundada por homens, os quais, por escolha própria, se ajuntam e determinam aquilo que lhes convier, como doutrina, regra, fundamento; elaboram aleatoriamente Estatutos Sociais por livre exposição do que pensam ou acreditam ser a expressão na verdade bíblica (que geralmente não é).

E é fato no ordenamento jurídico brasileiro, de que as instituições religiosas apelidadas de 'igrejas' ou igreja instituição é pessoa jurídica de direito privado, como disciplinado no Código Civil, e suas diretorias estatutárias respondem judicialmente pelos danos causados a Instituição de Fé, aos membros e a terceiros, independente de ter havido culpa (ação involuntária) ou dolo (ato intencional) pelo causador.

Em segundo e conclusivo ato, é afirmar sobre os pastores de púlpito, afinal, a maioria é constituída por outros que nenhum chamado teve de DEUS, somente fundaram suas instituições e vão a ventos dizendo que ungem, diga-se, ordenha qualquer individuo festoso de cursos religiosos sem chamado algum!!

Portanto, quando se diz que o sujeito é "líder religioso" em uma instituição religiosa apelidada de 'igreja', não podemos relacioná-lo como um homem de DEUS, como pastor de ovelhas do aprisco do SENHOR, afinal, instituições religiosas são duvidosamente vontade do CRIADOR.


Porque dELE e por ELE, e para ELE, são todas as coisas; glória pois, a DEUS eternamente;
Nos interesses da Igreja que CRISTO edificou. Amém.


Nenhum comentário: