Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 21.mar.2017, Mateus 18

Porque o FILHO do homem veio salvar o que se tinha perdido.
[Lucas 19.10,56; Mateus 9.12-13; 10.6; 15.24]
Que vos parece? Se algum homem tiver cem ovelhas, e uma delas se desgarrar, não irá pelos montes, deixando as noventa e nove, em busca da que se desgarrou?
[Lucas 15.4-7; Ezequiel 34.12; Mateus 21.28; 1Reis 21.17]
E, se porventura a acha, em verdade vos digo que maior prazer tem por aquela, do que pelas noventa e nove que se não desgarraram.
[Salmos 147.11; Isaías 53.11; 62.5; Jeremias 32.37-41]
Assim também não é a vontade de vosso PAI, que está nos céus, que um destes pequeninos se perca.
[João 17.12; Isaías 40.11; Zacarias 13.7; Mateus 5.16]

[611,265]

fevereiro 22, 2014


Sua fé é em CRISTO, ou no que você faz??!!

[375,725]

Contexto bíblico, Hebreus 11:

Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.

Então, por que milhares de evangélicos, católicos e qualquer individuo que deixam dinheiro em forma de dízimos ou ofertas nos lugares apelidados de ‘igrejas’ o dizem que é por fé???
São religiosos e mentirosos!!

O contexto do texto bíblico de Hebreus 11 é a prova e contra prova que os evangélicos, católicos e qualquer individuo que procura solucionar problemas desta vida terrena estão errados em seus pretextos de entregarem dízimos ou ofertas nos lugares apelidados de ‘igrejas’, apenas, enriquecem aos mercenários religiosos que insinuam e militam a crendice do é “dar que se recebe” usando versículos isolados e adulterando a Palavra de DEUS [contida na Bíblia] em prol da manutenção de prédios santificados na unção diabólica e daqueles que são movidos apenas pelo interesse pessoal e material e ao sustento de suas proles (ainda dizem de forma melancólica e patética de que é uma questão de manter a sua família MODESTAMENTE)!!

Mercenários, charlatões, corruptos da fé alheia é todo aquele que prolifera a fé pelo ensino do “dízimo” em o tempo da graça de nosso SENHOR e SALVADOR JESUS CRISTO.

CRISTO ASSEVERA DE NÃO POSSUÍREM FÉ 
AOS QUE ENTREGAM DINHEIRO EM 'IGREJAS' COMO OFERTAS, 
DÍZIMOS OU OUTRAS CONTRIBUIÇÕES. SACRIFÍCIO DE TOLO!! 
(SEJAMOS SINCEROS, É BURRICE MESMO)

Afinal, o evangelho proíbe divisões entre irmãos, e as instituições religiosas apelidadas de 'igrejas' (igreja instituiçãoigreja local) simplesmente, de forma intencional, separam e dilaceram as ovelhas do aprisco do SENHOR, com suas doutrinas de cada denominação religiosa e teologias tendenciosas, levando-as ao ensino predatório, mercenário, charlatão, mentiroso e corrupto de homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de DEUS, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela.
Destes, pelo amor de DEUS, afastem-se [2Timóteo 3]!!

A razão e consciência em verdade de DEUS, que desmente as lideranças eclesiásticas está em que, a fé é fundamento das coisas que se não vêem (que não se toca, não apalpa com as mãos) e os mercenários religiosos dizem que fé é a contribuição e entrega de dinheiro ou coisa material nos lugares apelidados de 'igrejas' (igreja instituiçãoigreja local), mesmo por que, os evangélicos, católicos e qualquer individuo que vai atrás de homens religiosos são desestimulados a terem entendimento bíblico e por fim, iludidos a que, por coisas palpáveis desta vida (como o dinheiro, cartão de crédito ou débito), os possam levar a DEUS, e porquanto, são enganados por formas indignas para que busquem ao SENHOR, e porventura, tateando, como entregando dinheiro nas mãos de lideres religiosos, O pudessem achar; mas, são acometidos ao erro de que, DEUS está longe, e assim, precisam entregar ou contribuir para com uma obra que supostamente é de DEUS [Atos 17], mas, é uma obra inventada, elabora, criada e fundada por homens, como as instituições religiosas apelidadas com nomes que iludem:
1 igreja católica;
2 as evangélicas, tais como a Renascer, G12, a Deus é Amor, as Assembléias de Deus, a Universal dividida para a Internacional da Graça e subdividida para a Mundial, as Batistas, e mais umas milhares de outras placas (leia Partindo o bolo da Fé Nomeada e Denominada!);
3 o 
sistema religioso como um todo e tudo o que seja as religiões. 

Portanto, deixe de ser enganado e enganando-se a si próprio, venha olhando para "JESUS, Autor e Consumador da fé, o qual, pelo gozo que Lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de DEUS [Hebreus 12]!!
Aleluia!!




Porque dELE e por ELE, e para ELE, são todas as coisas; glória pois, a DEUS eternamente;
Nos interesses da Igreja que CRISTO edificou. Amém.


fevereiro 14, 2014


As igrejas enfadonhas e seus atrativos superficiais

[374,665]

Quem já não se deparou com pessoas caindo em lágrimas quando ouvem alguma música gospel ou religiosa??

Quem já não se deparou com pessoas caindo em lágrimas quando a liderança eclesiástica faz aqueles sermões apelativos, agitando o emocional, usando versículos bíblicos em linguajar artificial??

Pois, é desta maneira que muitos dos lugares apelidados de igrejas têm se firmado em ministrar e garantir seus membros; a igreja instituição tornou-se um reduto pelo qual o produto é vendido de acordo com o gosto e vontade do freguês, é um lugar monótono, fastidioso, onde não se exorta à santidade, mas, a busca pela prosperidade material (as lideranças eclesiásticas vão dizer que condenam tal pratica religiosa, mas ensinam sobre os dízimos e ofertas mirabolantes para suas instituições);

A maioria dos frequentadores destes lugares apelidados de igrejas, que lá estão dia após dia (não podem faltar, a liderança diz que estão se desviando), não se importam de como será apresentada a Palavra de DEUS, contando que seja algo que lhes remeta à vitória, em especial a financeira, qualquer coisa ou versículo isolado em forma de triunfo ou sucesso serve, é a troca entre "dar" ofertas financeiras e "receber" supostas bênçãos (no jargão mercenário religioso do é dando que se recebe).

Muitos não se dão conta que a Igreja é transformada por DEUS, e Ela, por conseguinte, transforma o mundo; porém, esta relação não condiz com os lugares apelidados de igrejas, afinal, estão permitindo em se transformarem conforme os desejos e necessidades de seus membros às coisas do mundo.

Há décadas, os lugares apelidados de (instituições) igrejas têm se tornado em estilo ou modo de vida, suas reuniões não são espirituais e da comunhão em torno de CRISTO, se tornaram meros espaços religiosos alardeados por momentos inexpressíveis e musicais; há mais tempo e espaço para cantores (erroneamente chamados de levitas), bandas, corais, em detrimento a exposição da Palavra de DEUS; não se preocupam que as reuniões sejam em nome de CRISTO [Mateus 18.20], mas, procuram pelos mesmos e cotidianos pregadores explosivos de sermões que levam ao êxtase emocional, desprezando a admoestação de Paulo em 1Coríntios 14 quando reunidos em Igreja;

Porquanto em verdade, como deve ser as reuniões entre irmãos?

"Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, 
tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação."

Há décadas, os frequentadores de lugares apelidados de igrejas pensam que 'igreja' é algo para si mesmos, acometem este erro por que negligenciam que a Igreja de CRISTO é apregoada como sendo o próprio corpo do SENHOR [Colossenses 1.24; Efésios 5.23], portanto, a Igreja não é algo nosso, para nós, mas sim, para CRISTO.

Os lugares apelidados de igrejas têm se firmado por existirem em função de haver pessoas buscando uma possível "comunhão" entre si (querem é rever amigos), solução de problemas terrenos e a busca pelas palavras das lideranças eclesiásticas, uma crendice patética e enganadora, afinal, a Igreja não vive por si própria, CRISTO é a razão de sua existência;

JESUS edifica a Igreja como Sua noiva, e assim, Ela não pode ser um estilo ou modo de vida, Ela é orgânica, viva, com o único e verdadeiro objetivo, a glória de CRISTO!!

Uma triste e patente realidade, está em que, os lugares apelidados de igrejas, por tudo o que realizam e testificam em sua existência, impedem uma Igreja como DEUS a quer;

Mas pela ação do ESPÍRITO SANTO, uma grande parcela de crentes que se desvincularam dos lugares apelidados de igrejas, saindo da igreja instituição, chamados de desigrejados, possuem o entendimento que DEUS está tentando dizer a mesma coisa, formando-lhes a consciência em CRISTO para esta revelação desde os primórdios do século, uma Igreja como DEUS a quer, para a transformação do pecador pelo caminho da cruz, confrontado e desafiado a decisões profundas com relação a CRISTO, capazes de mudar todo o seu modo e estilo de vida!!



Porque dELE e por ELE, e para ELE, são todas as coisas; glória pois, a DEUS eternamente;
Nos interesses da Igreja que CRISTO edificou. Amém.


fevereiro 06, 2014


As chamadas 'igrejas' não são obra de DEUS!!

[373,570]


A história da humanidade nos mostra que os homens, desde os primórdios, gostam de se destacar, de receber privilégios, de merecimentos, e em especial quando se trata da religiosidade; e isto não se difere pelas lideranças eclesiásticas deste presente século.

Tantas quantas forem estas lideranças eclesiásticas, se fazem soberanos, autoritários, e até se transfiguram em semideuses (tornam-se como filhos do Olimpo), vivem pela forma dos fariseus, a quem CRISTO criticou e repreendeu por viverem e imporem sobre outrem pela religiosidade [Mateus 23].

Unidos as indumentárias religiosas (como as estolas), criadas com o fim de se destacarem dos demais que os seguem (de forma cega), se firmam pelos discursos excessivamente longos (disfarçados em sermões), cansativos, entediantes = ENFADONHOS, FASTIDIOSOS, que usam demasiadas e descomedidas e supérfluas palavras, muitos destes ilustrados a chocarrice, zombeteiro ou mordaz, graçola = PIADA.

A história da humanidade, pelas lideranças eclesiásticas, tem criado dogmas, crendices, argumentos capciosos (sofisma) com o que pretendem enganar, fabricam intrujices, e com isto fazem presas suas, por meio ainda de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo CRISTO [Colossenses 2];

E um ponto fundamental e discutível da crendice religiosa das lideranças eclesiásticas, está na imposição ao subterfúgio e negligência das Sagradas Escrituras de que a igreja instituição ou instituições apelidadas de 'igrejas' é, pelo engano fraudulento, obra de DEUS, e não são!!

Pela Palavra de DEUS [contida na Bíblia] as chamadas 'igrejas' não são obra de DEUS!!

Ora, todos sabem e têm tido pavorosos exemplos de que estas instituições apelidadas de 'igrejas' dia após dia trazem escândalos, induzem outrem a mal, ao erro ou ao pecado;

Toda e qualquer igreja instituição ou instituição apelidada de 'igreja' é elaborada, criada ou fundada por algum homem, basta apenas questionar ao líder sobre a que se frequenta (tais como a católica, a Renascer, a Deus é Amor, as Assembléias de Deus, a Universal dividida para a Internacional da Graça e subdividida para a Mundial, as Batistas, e mais umas milhares de outras placas, entidades espiritas, enfim, o sistema religioso como um todo e suas religiões; leia Partindo o bolo da Fé Nomeada e Denominada!).

QUESTÃO JURÍDICAEstado de Direito

As lideranças eclesiásticas camuflam que as suas instituições apelidadas de 'igrejas' são firmadas pela lei humana; é vital registrar que, para o ordenamento jurídico brasileiro, as instituições apelidadas de 'igrejas' é pessoa jurídica de direito privado, como disciplinado no Código Civil, e sua diretoria estatutária responde judicialmente pelos danos causados a Instituição de Fé, aos membros e a terceiros, independente de ter havido culpa (ação involuntária) ou dolo (ato intencional) pelo causador (www.direitonosso.com.br);

O artigo 44 no Novo Código Civil trouxe a seguinte redação:
Art. 44. São pessoas jurídicas de direito privado: I - as associações; II - as sociedades; III - as fundações; IV - as organizações religiosas; V - os partidos políticos; 
Com esta nova lei, o legislador nem sequer cita as instituições apelidadas de 'igrejas' como pessoa jurídica. De acordo com as novas regras, instituições apelidadas de 'igrejas' não são sociedades e nem fundações, restando a elas se enquadrarem em associações, obedecendo as mesmas regras que regem um clube ou associação qualquer. 
A lei 10.825 inseriu no Código a personalidade jurídica das instituições apelidadas de 'igrejas', chamadas de organizações religiosas e partidos políticos. Coerente com a Constituição Federal, reafirma da liberdade religiosa no parágrafo 1º do Artigo 44:
São livres a criação, a organização, a estruturação interna e o funcionamento das organizações religiosas, sendo vedado ao poder público negar-lhes reconhecimento ou registro dos atos constitutivos e necessários ao seu funcionamento.


Portanto, a legislação ou lei do homem intitulam as "igrejas evangélicas" e tantas outras instituições como, tão somente, denominadas "organizações religiosas".

Diante o que são as instituições apelidadas de 'igrejas' e suas organizações criadas, elaboradas e fundadas por homens, é expressão da verdade afirmar que não são obra de DEUS!!

Com tudo isto que entendemos e nos mostra a mais pura e cristalina Palavra de DEUS [contida na Bíblia] que desmente e coloca por terra tudo o que toda e qualquer liderança eclesiástica, seja quem for, sábios, eruditos, doutores em divindade, PhD, teólogos, pregadores, ensinadores, escritores, catedráticos, articulistas, membros de academia evangélica, professores de hermenêutica, exegese, homilética, pastores presidentes, bispos, missionários, apóstolos, reverendos, presbíteros, blá, blá, blá, por que JESUS asseverou sobre a obra de DEUS e testificou a SI mesmo, e disse:

A obra de DEUS é esta:
Que creiais naquELE que ELE enviou.
[João 6]

A foto que ilustra este artigo era da construção de um templo da Assembléia de Deus, em Belo Horizonte, erguida com dízimos e ofertas e mão-de-obra de seus membros, entretanto, o pastor presidente que manipulava o Estatuto Social e por seu autoritarismo, fechou a instituição, vendeu o imóvel e embolsou, tomou posse como se fora dele, de todo o dinheiro da venda do imóvel (leia mais em Quando a igreja é roubada!) contrariando o próprio Estatuto que previa a doação de todo e qualquer patrimônio da igreja instituição para entidades filantrópicas.



Porque dELE e por ELE, e para ELE, são todas as coisas; glória pois, a DEUS eternamente;
Nos interesses da Igreja que CRISTO edificou. Amém.

fevereiro 02, 2014


Imunidade tributária para igrejas “não tem cabimento”,
diz Desembargador.

[373,183]


O desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo Carlos Henrique Abrão argumentou recentemente sobre o fim da imunidade tributária recebida por instituições religiosas na legislação brasileira, afirmando que tal privilégio tem servido quase que exclusivamente para enriquecer pastores e sustentar outros negócios.

Em um artigo publicado no site Consultor Jurídico, o desembargador afirmou que as atividades econômicas ligadas às diversas religiões, citando em específico a igreja católica e igrejas evangélicas, devem ser tributadas normalmente, ficando imunes apenas aquelas ligadas diretamente ao culto religioso, como a missa.

- Estamos assistindo ao crescimento desmesurado de pseudosseitas religiosas, as quais mais enriquecem seus pastores do que o próprio rebanho. Mas não é só, a própria Igreja Católica, sem qualquer dúvida, também quando explora atividade econômica, ou de conteúdo empresarial, igualmente sofreria tributação. – afirma Abrão.

Segundo o jurista, pastores têm se utilizado do artifício da imunidade concedida às igrejas para “blindarem” seu patrimônio contra o imposto de renda e também se aproveitado de tal imunidade fiscal para adentrarem em diversas atividades econômicas de maneira desleal ao entrarem no mercado com custos menores por causa da não tributação. Ele ressalta ainda o uso de meios pertencente às denominações religiosas para a execução de propaganda política.

- A imunidade plena ou alíquota zero para essas atividades não reprime os desvios e muito menos a ganância que ostentam seus líderes, mormente com rádios e canais de televisão, tudo sob o aspecto da não concorrência, já que estão, em tese, isentos ou mais fortemente imunes. (…) De modo semelhante, nas escolas religiosas, de uma forma geral, se o ensino é particular e bem paga a mensalidade, não se justifica uma autoimunidade para aqueles que, em igualdade de condições, realizam suas tarefas de caráter empresarial. – argumenta.

- No Brasil a situação é ainda mais grave, pois muitos ligados às entidades pentecostais se aproveitam dos seus espaços, principalmente em redes de rádio e televisão e divulgam suas imagens para as respectivas candidaturas ao parlamento, ao custo zero – completa o desembargador.

Ele afirma que a legislação em torno desse benefício deve ser revista, de forma a “manter somente o essencial imune, mas as demais atividades complementares e paralelas tributadas”. Ele afirma que apenas o culto religioso em si deve receber tal imunidade fiscal, e que todas as demais atividades econômicas das igrejas devem “receber o mesmo tratamento do sistema tributário para as empresas privadas”.

- Essa riqueza visível aos olhos de muitos e invisível para fins de tributação acaba gerando uma distorção de natureza da capacidade contributiva, fazendo com que os assalariados recolham mais, enquanto outros vagam pelos caminhos religiosos, sob a capa da absoluta certeza de que suas obras pertencem a Deus, e não a Cesar, no conceito jurídico tributável, com o que não podemos simpatizar – finaliza.


Gospel+

.